As cores e a luz

Esta atividade foi, sem dúvida, uma das que mais gostámos até agora. Aprendemos tanto!

Por que razão vemos as cores? A existência da luz é que nos permite visualizar as cores. Se estivermos numa sala às escuras, não conseguimos ver nada. E ficámos mesmo às escuras! Os mais pequenos tiveram medo!

As cores primáriassão o vermelho, o azule o amareloCom a mistura destas cores obtêm-se as cores secundárias.
Apesar de haver sete cores no arco-íris, é possível usar estas três cores para fazer todas as outras. Chamam-se cores primárias, porque são cores puras, ou seja, cores que não se conseguem com a mistura de outras cores.
Chamam-se cores secundárias, porque se conseguem obter a partir da mistura de duas cores primárias. E fizemos as experiências com as cores. Muito interessante!
Há ainda as cores neutras: o branco e o preto não são cores, mas é assim que nós as vemos. São opostas. Com o branco e o preto obtivemos o cinzento, como podem ver nas fotografias. 
O branco é luz e a soma de todas as cores.
O preto é ausência de luze aparentemente não é feita de nenhuma cor.
Cores quentes são aquelas que nos transmitem a sensação de calor: amarelo, laranja e vermelho.
Cores frias são aquelas que nos transmitem a sensação de frio: azul, violeta, verde.
Isaac Newton foi o primeiro cientista a mostrar que a luz branca é composta por diferentes cores. 
Num dia soalheiro, tapou as janelas do seu quarto, deixando um buraco pequeno que permitia passar um raio de luz do Sol. Pôs um prisma à frente e o prisma curvou a luz num padrão de cores na parede. Chamou a isto o espectro solar. Foi precisamente o que estivemos a fazer, não com o Sol, mas com uma lanterna que é também uma fonte de luz.
A luz é na realidade uma mistura de cores diferentes.
Quando vemos um arco-íris, vemos todas as cores diferentes, separadas por gotas de água no ar. Cada cor de luz tem um comprimento de onda ligeiramente diferente, por isso comporta-se de maneira diferente.
Quando cada cor bate num objeto transparente, como uma gota de chuva, atravessa-o a uma velocidade diferente, fazendo as cores separarem-se e espalharem-se.
Usando um pedaço triangular de vidro – prisma – podemos observar a luz a ser dividida nas suas cores diferentes. Existem sete cores que se dividem sempre pela ordem dos seus comprimentos de onda. O vermelho (o maior) separa-se no ângulo mais largo, seguido das cores laranja, amarelo, verde, azul, índigo e violeta.
Existe uma mnemónica para memorizar facilmente a sequência das cores no arco-íris: Vermelho lá vai violeta.
Existem outros nomes para o arco-íris, como por exemplo, arco da velha ou arco-celeste.

Curiosidade: 

Significado da expressão “coisas do arco da velha”
Utilizamos esta frase, quando nos referimos a coisas inacreditáveis, absurdas, espantosas, estranhas. 

Pensa-se que esta expressão tem origem no Antigo Testamento, porque o arco da velha é o arco-íris, ou arco-celeste e foi um sinal do pacto que Deus fez com Noé:
“Estando o arco nas nuvens, Eu ao vê-lo recordar-Me-ei da aliança eterna concluída entre Deus e todos os seres vivos de toda a espécie que há na terra.” (Génesis 9:16)
Arco-da-velha é uma simplificação de Arco da Lei Velha, uma referência à Lei Divina ou Lei de Deus. 

Há diversas histórias populares que defendem outra origem para esta expressão: a da existência de uma velha no arco-íris, sendo que a curvatura do arco corresponde à curvatura das costas provocada pela velhice. Bom, e há quem diga que onde o arco-íris acaba, há um pote cheio de moedas de ouro. Ideias do arco da velha!!
A sala a ficar cada vez mais escura
Depois da escuridão, acendeu-se uma luz
Objetos utilizados: um frasco com água e uma lanterna
Objetos utilizados: um prisma e uma lanterna
As formas e as cores #1
As formas e as cores #2
As formas e as cores #3
As formas e as cores #4
As formas estranhas que vimos eram lindas!
Nesta forma até conseguimos ver um prisma!
Preparação para o trabalho
As cores primárias
A mistura das cores nos godés
Neste trabalho, a descrição foi feita em inglês para treinar 

A experiência da mistura das cores
Branco para fazer cinzento
Cinzento do mais escuro ao mais claro
O cinzento com umas iniciais secretas (mas o segredo está à vista)


Sabem que existe uma espécie de eucalipto chamado arco-íris?

Nome científico: Eucalyptus deglupta;
Altura: acima de 12 metros;
Luminosidade: sol, muita luz;
Ciclo de vida: perene;
Onde vive: Nova Guiné, Indonésia, Filipinas;
Nomes populares: Eucalipto arco-íris, Eucalipto-da-nova-guiné, Eucalipto-das-filipinas.

Tem um aspeto fora de vulgar, porque parece que o tronco foi pintado por uma criança, mas o que acontece é que, enquanto a árvore cresce, se desenvolve e envelhece, vai mudando as cores do súber que é o revestimento ou casca. Apresenta cores como azul, roxo, vermelho, laranja, verde.
Para sobreviver precisa de muita água, não suporta temperaturas abaixo dos 9º C nem acima dos 30º C e gosta muito de luz.
Afinal não são só os animais que mudam de cor como o camaleão e certos peixes!
Curiosidade: quanto mais cores tiver mais velha é a árvore.


Que bom seria poder visitar uma floresta com estes eucaliptos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *