O meu coração tem muitas cores

Abrimos as portas dos nossos corações, à semelhança da protagonista da história do livro No meu coração pequenino, de Jo Witek e Christine Roussey. Um livro para todas as idades que fala dos sentimentos e das emoções de uma menina que acha que o seu coração “é um tesouro que muda de cor consoante o seu humor”.
Após e durante a leitura trocámos impressões e saberes, como por exemplo: o que são as lágrimas de crocodilo? Sim, todos sabem que esta frase se refere a um choro fingido, mas como surgiu e porquê? Os crocodilos engolem a sua presa sem mastigar e, para que o possam fazer, abrem a mandíbula de tal forma que ela comprime a glândula lacrimal. Em consequência, um mecanismo semelhante ao nosso produz lágrimas. Parece que choram com piedade da sua presa, mas trata-se de uma reação física a um estímulo.

Fizemos um jogo para adivinhar sentimentos com os corações que desenhámos.

O aluno mais velho esteve a estudar os idiomatismos, na disciplina de Português. Quer ser professor, então, nada melhor do que começar a treinar a sua futura profissão. Esteve a explicar aos mais pequenos, aos pais, às mães e às educadoras o significado de “expressões com o coração dentro”. Seguem algumas frases:

Cair o coração aos pés – Não estar à espera que algo aconteça.
Do coração – De boa vontade.
Falar com o coração nas mãos – Falar com sinceridade.
Fazer das tripas coração – Esforçar-se ao máximo.
Ler no coração – Perceber os sentimentos das outras pessoas.
Não ter coração – Ser mau.
Ter pelos no coração – Ter maus instintos.
Ser um coração lavado – Ser uma pessoa com bons sentimentos. Ser um bom amigo.
Ter o coração na boca – Ficar aflito.

Entretanto, sem que ninguém previsse, apareceram na sala da escola dois atores famosos da telenovela portuguesa Jardins proibidos: Vítor Silva Costa (Alfonso Herédia) e Renato Godinho (inspetor Nuno). Conversámos, tirámos fotografias, partilhámos emoções e sentimentos.

Depois, metemos mãos à obra e escrevemos os sentimentos que moram no nosso coração.
Fico feliz, quando vejo… os meus amigos; ajudarem os outros; a minha mãe e o meu pai; a minha mãe feliz; a minha família. Quando oiço… a minha mãe; palavras bonitas; elogios; música; o mar. Quando como… chocolates, carne, bacalhau à Brás; batatas fritas; de tudo. Quando sinto… que estou quase a ir embora; amor no coração; amizade; coisas boas. Quando… vejo a minha avó feliz; tenho amigos; vou de fim de semana a casa; estou com as pessoas de quem gosto; vejo a minha mãe sorrir. Quando os meus amigos… vão a minha casa; me respeitam; gostam de mim; me apoiam; me tratam bem. 
Fico triste, quando vejo… injustiças; maltratarem os outros; as pessoas de quem mais gosto morrerem; que a minha mãe não está perto de mim; injustiças; os meus pais a discutir. Quando oiço… palavras duras e feias; asneiras; a ralharem comigo; barulhos atrás de mim; discriminação racial; coisas más. Quando como… sopa; bacalhau; espinafres verdes; cebola muito picante; peixe. Quando sinto… dor; raiva; infelicidade; falta de amizade; que sou posto de parte; a minha cabeça a ouvir vozes. Quando…estou sozinha; acordo de manhã com os pés de fora; não tenho os meus pais perto de mim; não vou de fim de semana a casa; não me respeitam; me chateio com os meus amigos. Quando os meus amigos… não me vêm ver; não ligam ao que lhes digo; não vão a minha casa; me pregam sustos; dizem coisas sobre mim que me magoam.
Um amigo especial, muito colorido, que nos acompanhou durante toda a tarde.
Em seguida, dissemos algumas palavras doces e outras amargas como, por exemplo: bonito, amizade, beijo, sol, melhor amiga, mel, simpático, filho, sorriso, amor, mãe, mar, irmão, animais, mau, solidão, agressividade, falsidade, castigo, birras, escuro, desistir, chatices, rancor, estúpido, racismo, feio, ansiedade. Descubram quais as doces e quais as amargas.
Este trabalho foi partilhado com os nossos amigos do Hospital Dona Estefânia, durante uma sessão de videoconferência. As professoras do HDE fizeram-nos um jogo sobre as emoções e as expressões.

Deixamos duas opiniões sobre a sessão: “Adorei esta aula!” e “Foi uma aula gira! Onde é que arranjaram as fotografias do jogo?”.

2 comentários em “O meu coração tem muitas cores”

  1. Amigos, ficamos felizes se esta atividade – jogo das emoções/sentimentos e suas expressões faciais – vos agradou! Este jogo foi concebido pela Joana L.S., que fez estágio aqui no âmbito do seu Curso Profissional de Técnico de Apoio Psicossocial, em 2011/12. Já lhe transmitimos a vossa reação tão calorosa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *