TeleAula no HDE – Clube de Educação Tecnológica da EBI da Bobadela

Uma grande surpresa! Bombástica!

Os nossos Amigos do Clube Tecnológico da Bobadela estão sempre a surpreender-nos com trabalhos magníficos, desta vez não foi diferente! Estivemos animados do princípio ao fim da atividade. Fica aqui o registo de alguns desses momentos vividos!
Organizámos a nossa mesa de trabalho

Recebemos indicações sobre os procedimentos mais corretos
Seguimos atentamente as indicações

O trabalho exige rigor 

Finalmente duas das nossas bombas parecem concluídas…

Por indicação dos nossos parceiros colocámos água corada dentro das nossas bombas de água e ligámos o circuito….Ups! alguma coisa correu mal…fizemos um lago vermelho na nossa mesa de trabalho! A água parece sair por onde não devia…TEMOS FUGA NO SISTEMA!! Toca a limpar tudo!

Bomba a precisar de reparação

Mesmo assim valeu a pena a aula foi mesmo muito divertida! Quanto a nós…prometemos melhorar as nossas imperfeições técnicas!!
***

Umas semanas depois…

***

Uma parceria que encurta a distância!

Como a generosidade do Clube de Educação Tecnológica da EBI da Bobadela é tão evidente e digna de apreço, os alunos devidamente acompanhados e autorizados vieram à sala de trabalho do Núcleo de Apoio Escolar ao 2º/3º CEB e ES do HDE demonstrar e ensinar-nos o tanto que já aprenderam nesta área. Assim, pudemos voltar a agradecer a sua dedicação.

Algum do material usado na sessão

Nesta sessão, muito rica, voltámos à bomba de água, vimos como a luz se comporta em meios diferentes como a água e o ar, ficámos com algumas noções como funciona a fibra ótica, vimos uma série de transformações energéticas até à produção de luz,  vimos como produzir movimento aproveitando o efeito de um campo eletromagnético, vimos ainda o efeito de uma luz lazer incidindo sobre um determinado ponto…enfim vimos muito e aprendemos ainda mais!

Uma bomba de água primorosa
No escurinho para ver bem o laser

A energia em transformação
O magnetismo e a eletricidade em ação!


Importantes explicações científicas
Pela ciência …encheram-se muitos balões!

Hoje tivemos uma tarde muito animada e estimulante.

Aos alunos e professores do CLUBE TECNOLÓGICO da EBI da Bobadela  um MUITO OBRIGADA pelo empenho, interesse e dedicação que têm demonstrado ao longo destes anos.

Um mundo de mil cores

À semelhança dos eucaliptos arco-íris, que já foram motivo de publicação este ano letivo, existem outros fenómenos naturais que nos oferecem paisagens lindas de mil cores.
Caño Cristales é um rio que se localiza na América do Sul, na Colômbia. Nasce no Parque Nacional da Serra da Macarena que se situa no centro do país.
Este rio apresenta várias cores ao longo do seu percurso e, por isso, as pessoas dão-lhe vários nomes, como por exemplo, “O rio das cinco cores”, “O rio que fugiu do paraíso”, “O arco-íris que se derreteu” ou “O rio mais bonito do mundo”.
As suas cores devem-se às algas que se desenvolvem e se reproduzem no fundo do leito e que nos dão a sensação de estarmos diante de um rio de cinco cores: vermelho, amarelo, verde, azul e negro.
Durante o mês de julho, quando termina a estação das chuvas, o nível da água deste rio desce, criando-se as condições ideais para que floresça a Macarenia Clavigera, uma alga cujas folhas apresentam uma enorme variedade de cores, que ondeia debaixo de água. 
A sua floração atinge o máximo esplendor entre os meses de setembro e de novembro.
As cores do rio Caño Cristales

O trabalho que se segue foi elaborado pelo Gelson Patrick, um jovem adulto que frequenta a nossa escola de hospital. 
Podemos encontrar as montanhas coloridas no Parque Geológico Zhangye, Danxia, na província de Gansu, no norte da China.

Este fenómeno é explicado como tendo origem no movimento das placas litosféricas (que se movem devido ao calor do interior da Terra) que juntamente com fatores externos, como vento e chuva, foram criando camadas de diferentes cores, texturas, tamanhos e padrões.

Estas montanhas são formadas por arenitos e outros depósitos minerais que se foram acumulando por mais de 24 milhões de anos.

O arenito é uma rocha sedimentar que se forma à superfície da crusta terrestre composta normalmente por quartzo, mas pode ter quantidades de outros minerais e impurezas. É a presença e tipo de impurezas que determina a coloração dos arenitos, por exemplo, grandes quantidades de óxidos de ferro, fazem esta rocha vermelha.
Adorava ver estas montanhas coloridas! Será que é real? Ou as fotografias foram manipuladas em computador? Que existem as montanhas coloridas, existem, pois é explicado o fenómeno através da composição das rochas que as formam com o efeito do sol, da luz e dos fatores externos como o vento e a chuva. A minha dúvida é se as cores são assim tão intensas.
Um dia irei visitá-las!
As montanhas coloridas na China e os turistas que as visitam

A propósito deste tema colorido, resolvemos ir à procura de cores e do resultado da sua conjugação. Misturámos de forma livre e libertadora as cores de que gostamos e surgiu este quadro.

Serão montanhas? Flores? Pássaros? Será o que vocês quiserem, porque a imaginação não tem limites. Para nós, foi a alegria de um momento de pausa de algumas tarefas nem sempre muito agradáveis.
A nossa paleta de cores
Pintou-se até com os dedos!
As primeiras pinceladas
Mistura de cores
O quadro feito pela Cristiana, acrílico sobre tela

Palavras sobre este trabalho:

Misturei algumas cores para ver se dava algo fantástico e deu.Cores diferentes, bonitas que utilizei na tela com um pincel e com os dedos.Gostei muito, porque foi agradável e relaxante imaginar um mundo diferente dos outros e achar que posso ser pintora.Vejo no meu quadro várias montanhas de diferentes espécies e flores. Achei que podia dar várias pinceladas e algumas parecem flores. Gostei de imaginar que vivia num mundo diferente onde as montanhas e as flores eram de várias espécies e de diferentes tipos.

Navegando em abril

Dia da Terra

No dia 22 de abril, no âmbito do Dia da Terra, através da Exposição GÉNESIS de Sebastião Salgado, que se encontra na Cordoaria Nacional de 10 de abril a 2 de agosto, os nossos alunos refletiram o quanto é importante cuidar do nosso planeta.
Sebastião Salgado, um fotógrafo brasileiro, viajou durante oito anos pelo mundo e fotografou lugares e povos recônditos. 
Das fotografias que tirou, selecionou um conjunto a que chamou Génesis.

Génesis é uma jornada em busca do planeta como ele existiu, desde a sua formação.
Nesta exposição encontramos paisagens terrestres até hoje intocadas, bem como povos que conseguiram escapar das transformações impostas pelo mundo moderno.

Sebastião Salgado fotografou nos círculos polares, nas florestas tropicais, nas extensas savanas, nos tórridos desertos, lugares que nos levam a reflectir sobre a fragilidade do nosso planeta.

Ao explorarmos esta exposição, sentimos o dever de proteger o planeta e, como é desejo do autor, também reverter os danos que o Homem já causou na nossa casa.
Neste sentido, os nossos alunos elaboraram um trabalho, que foi enviado para as suas escolas de origem, sobre a necessidade urgente de cuidar do nosso planeta.

Simetrias

No dia 23 de abril, numa tentativa de TeleAula com os alunos do HSM, os nossos alunos exploraram simetrias. Apesar dos percalços informáticos, a atividade foi bem divertida e deu origem a muitos “OH, Oh, OH”, “que giro” – uma animação!

Uma bomba de água… com sabor especial

No dia 29 de abril, no âmbito do projeto TeleAula, os nossos alunos construíram uma bomba de água com a ajuda dos alunos da EBI da Bobadela.
Apesar dos nossos esforços… metemos água. Valeu pelas risadas e alegria!

Continuando na Mitologia….

Para consolidar o que aprenderam sobre os principais deuses olímpicos, os nossos alunos exploraram uma apresentação em powerpoint e construíram um painel sobre o tema.

Por fim, jogaram o jogo “Quem quer ser Romano”. Uma confusão… com tanto nome… mas conseguimos ganhar!!!!

Dia da Mãe

Os miminhos para as mães…

Ciência com minhocas, espelhos e outros materiais

Construímos um vermicompostor com a ajuda da Sandra e da Carla do Pavilhão do Conhecimento.
A vermicompostagem é uma maneira de aproveitar alguns dos desperdícios orgânicos das nossas casas e transformá-los em fertilizante para as nossas hortas e jardins, utilizando as minhocas californianas. E, ao contrário do que temos trabalhado, este processo acontece na ausência da Luz.

Tivemos uma TeleAula com a Sandra e a Sílvia do Pavilhão do Conhecimento e estivemos a fazer várias experiências com materiais. Identificámos os sólidos que flutuam, os que não flutuam e os que se equilibram na água.
Conversámos sobre a influência das massas, das formas e da densidade dos materiais sólidos e líquidos.

Infelizmente, não conseguimos ter a TeleAula com o IPO…
Partilhámos o que deveríamos fazer via telemóvel e descobrimos vários mistérios com a ajuda de espelhos e simetrias.
Deste lado, foi muito divertido e esperamos que na escola do IPO também se tenham divertido!