Escola que sara os cortes

Foto de criança hospitalizada (Revista Sábado)

No recente encontro das escolas de hospital falámos de alguns alunos que, apesar de não terem a possibilidade de ir à escola presencialmente, conseguem acompanhar as matérias e, nalguns casos, transitar de ano.
A Revista Sábado, na edição do dia 23 de Junho, traz uma reportagem sobre a realidade de algumas destas crianças que, apesar da doença, não desistem da escola e conseguem manter impressionantes resultados escolares.
Com o título Ir à escola no intervalo da quimioterapia, a reportagem centra-se na importância da escolarização em hospital como forma de ultrapassar o corte com os amigos e com a vida escolar.

A escola é fundamental neste contexto, diz Maria de Jesus Moura, directora da unidade de Psicologia do IPO de Lisboa. “Mantém os projectos de vida das crianças. A dada altura tudo se concentra na doença: há sintomas, tratamentos, amigos e familiares que fazem visitas e falam sobre o tema. A escola é uma maneira de quebrar este contacto constante. Tem uma função adaptativa e, ao mesmo tempo, de protecção.” 

Para ler a reportagem completa, é necessário adquirir a Revista Sábado em papel ou digital.

19º Encontro TeleAula

Viajar é a única coisa que compramos que nos torna mais ricos

A reunião anual da rede de escolas de hospital do Projeto TeleAula decorreu no dia 21 de Junho na Escola Básica José Cardosdo Pires, na Amadora.
O CANTIC, o Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, o Hospital de Dona Estefânia, o Hospital de Santa Maria e o Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil partilharam as actividades, vitórias e desafios de mais um ano de trabalho e de colaboração.
O almoço partilhado foi pretexto para uma mostra de capacidades culinárias e exibição de talentos na área da cozinha vegetariana mas também para pôr outros temas em dia, para continuar a boa disposição e, até, para homenagens e despedidas “até já”.
A parte da tarde foi um brainstorming de ideias para a actividade magna que queremos concretizar no próximo ano lectivo.
Inspirados pela proclamação pelas Nações Unidas do ano de 2017 como Ano Internacional de Turismo Sustentável para o Desenvolvimento, também nós quisemos viajar e conhecer e, por isso, surgiu o tema condutor do ano – A Mala do Viajante. Todos percebemos que essa mala é física e é virtual, tem dentro um instrumento musical carregados de esperança e de sonhos ou experiências de dor, de expectativa e de alegria que são de cada um; é uma mala onde todos nos encontramos para um convívio ou uma viagem no tempo; é uma mala sem barreiras, inesgotável fonte de músicas, livros, espaços, instrumentos científicos e criaturas que só existem na imaginação; uma mala nova de recomeços ou desgastada pelo uso e coberta de autocolantes e passaportes pesados de carimbos.
Começou mais uma viagem de quem recusa ficar parado com uma mala transportada por crianças que certamente apreciarão a irrequietude dos seus guias.