Escola que sara os cortes

Foto de criança hospitalizada (Revista Sábado)

No recente encontro das escolas de hospital falámos de alguns alunos que, apesar de não terem a possibilidade de ir à escola presencialmente, conseguem acompanhar as matérias e, nalguns casos, transitar de ano.
A Revista Sábado, na edição do dia 23 de Junho, traz uma reportagem sobre a realidade de algumas destas crianças que, apesar da doença, não desistem da escola e conseguem manter impressionantes resultados escolares.
Com o título Ir à escola no intervalo da quimioterapia, a reportagem centra-se na importância da escolarização em hospital como forma de ultrapassar o corte com os amigos e com a vida escolar.

A escola é fundamental neste contexto, diz Maria de Jesus Moura, directora da unidade de Psicologia do IPO de Lisboa. “Mantém os projectos de vida das crianças. A dada altura tudo se concentra na doença: há sintomas, tratamentos, amigos e familiares que fazem visitas e falam sobre o tema. A escola é uma maneira de quebrar este contacto constante. Tem uma função adaptativa e, ao mesmo tempo, de protecção.” 

Para ler a reportagem completa, é necessário adquirir a Revista Sábado em papel ou digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *