Viagens para todos os gostos

Celebrámos o Dia dos Namorados viajando pelos lenços dos namorados ou lenços dos pedidos, uma tradição portuguesa que se mantém acesa pela ternura e beleza do tema e da Arte que encerra. Identificámos os erros ortográficos e elaborámos quadras, versos que dedicámos aos nossos amores e amigos.

Um postal com desenhos inspirados nos lenços dos namorados portugueses e o livro "Palavras com beijo dentro"

Um postal com desenhos pintados inspirados nos lenços dos namorados portugueses com o nome Inês

Versos escritos à mão, cada palavra a sua cor, dedicados à mãe: minha mãe é uma flor, a maior deste jardim, obrigada mãezinha por teres sido sempre assim

Uma mão a pintar um postal com desenhos inspirados nos lenços dos namorados portugueses

Um aluno a escolher as cores para pintara o seu postal com desenhos inspirados nos lenços dos namorados portugueses

Decorreu, na passada segunda-feira, a segunda sessão de atividades pedagógicas integradas no segundo módulo proposto e dinamizado pela coordenadora do farol Museu de Santa Marta, Dra. Inês Fialho Brandão, em parceria com o projeto TeleAula. A identificação do Farol de Santa Marta em várias representações topográficas como mapas, cartas náuticas e militares, o seu funcionamento e relação com outros faróis portugueses assim como uma visita virtual pelo interior do farol foram alguns dos aspetos abordados.

Um grupo de alunos ouve com atenção as palavras da Dra. Inês e no quadro encontra-se representado o farol de Aveiro, o mais alto de Portugal

No quadro interativo aparece uma imagem onde se vê a costa portuguesa desde a Guia até ao Bugio assim como as linhas traçadas pelos faróis que indicam o caminho correto para entrar no Porto de Lisboa

Alunos e mães jogam ao jogo de orientação

No dia 15 de fevereiro, recebemos a visita da Casa das Histórias Paula Rego, através das mediadoras culturais do Serviço Cultural e Educativo do Bairro dos Museus, Diana Silva e Joana Santos, que nos deram a conhecer este museu monográfico, a artista e a sua obra. Ouvimos uma entrevista da pintora e alguns excertos do seu livro “Nursery Rhymes”, em português “Rimas de Berço”, e observámos a relação dos textos com as ilustrações. Ficámos a conhecer uma das técnicas utilizadas pela pintora, a monotipia, através da elaboração de gravuras em chapas produzidas a partir do interior metalizado de pacotes de leite.

Grupo de alunos e as duas mediadoras culturais num momento de apresentação

nas mesas encontram-se várias ferramentas: vários tipos de pepel, livros, cavalete pequeno, máquina de fazer massa

A mão de uma aluna a retirar a fita cola que prende o seu trabalho de monotipia à secretária

Um aluno movimenta de forma circular a tarlatana sobre a chapa da sua monotipia por forma a retirar o remanescente da tinta

A mão de uma aluna a desenhar com a ponta seca o seu desenho na chapa de metal

A mão de um aluno a desenhar com a ponta seca o seu desenho na chapa de metal

O livro de Paula Rego "Nursery Rhymes a ser apresentado a um aluno da creche

No dia 16 de fevereiro, fizemos uma viagem pelo nosso Sistema Solar com a visita do Planetário Calouste Gulbenkian ao nosso espaço. A Dra. Isabel Borges veio acompanhada de duas assistentes, a Diana e a Inês, que simpaticamente nos ensinaram as distâncias entre os vários Planetas, as características dos cometas, dos asteroides e dos Astros e ainda tivemos o privilégio de falar com uma astronauta. Surpresa das surpresas, cada um de nós, construiu um cometa com bolas de papel de alumínio e tiras de papel que simbolizaram a cauda, mas, para o fim, ficou o que mais estupefação criou: a Dra. Isabel “cozinhou” um cometa!

Um grupo de alunos e técnicos olha para a entrada de um astronauta real na sala da escola

A Dra. Isabel Borges faz a apresentação dos alunos e do Planetário

O astronauta e uma técnica assistente do Planetário levam um conjunto de balões cinzentos e pretos, símbolo da Cintura de Asteroides, até um aluno

Uma aluna faz um esquema numa tira de papel azul da sequência dos Planetas do nosso Sistema Solar

A Dra. Isabel vestida de bata branca e com luvas mexe o interior de um alguidar de onde sai fumo branco que se espalha pela secretária: a cozinhar o cometa

O que resta do cometa "cozinhado": uma massa de pequenos cilindros brancos com resíduos pretos

Para informação adicional e visionamento de filmes sobre estas atividades, consulte a nossa página de facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *