Dia da Criança

Hoje é um dia especial: o Dia da Criança!!!!
O Dia da Criança nasceu após a segunda guerra mundial, com a finalidade de sensibilizar a comunidade internacional para os problemas que atingiam tantas crianças no mundo.
Muitos anos passados, e ainda que muito tenha sido feito, o caminho até uma sociedade mais equitativa, que atenda às necessidades de todas as crianças em todas as partes do mundo, ainda é longo.
Hoje, relembramos os direitos das crianças e a necessidade de uma postura ativa na busca de uma sociedade mais equilibrada.

Todas as crianças têm o direito à vida e à liberdade. 

Todas as crianças devem ser protegidas da violência doméstica. 

Todas as crianças são iguais e têm os mesmos direitos, independentemente da cor, raça, sexo, religião, origem social ou nacionalidade.

Todas as crianças devem ser protegidas pela família e pela sociedade.

Todas as crianças têm direito a uma nacionalidade. 

Todas as crianças têm direito a alimentação e ao atendimento médico. 

As crianças com necessidades especiais têm direito a educação e cuidados especiais. 

Todas as crianças têm direito ao amor e à compreensão dos pais e da sociedade.

Todas as crianças têm direito à educação. 

Todas as crianças têm direito de não ser violentadas verbalmente ou agredidas pela sociedade.

Todas as crianças têm direito a ser protegidas contra o consumo e tráfico de droga.

Para além deste resumo, convidamos à leitura integral da Convenção sobre os Direitos da Criança.

Episódios de viagem

O professor Paulo Torcato voltou à nossa escola com O Robot Ajuda!
Fizemos uma sessão de programação em Scratch com um dos nossos jovens.

A TeleAula com a escola do IPO foi cheia de surpresas! Duas das alunas que participaram na sessão frequentam a mesma escola de origem e ambas foram alunas na escola do HSM.

Com tantas emoções, viajámos mais uma vez pelo mundo e divertimo-nos muito.

Além disso, a Ciência voltou à nossa escola!

A Sandra e a Andreia do Pavilhão do Conhecimento trouxeram um conjunto de experiências que deliciaram o nosso jovem cientista. O seu entusiasmo contagiou-nos!!!

Depois, e numa sessão de videoconferência, com a orientação da Sandra do Pavilhão do Conhecimento, transformámos a nossa escola num laboratório. 

Usando o processo de gelificação, “cozinhámos” caviar e esparguete de fruta!!!!
Foi uma sessão deliciosa.

Viagem entre realidades

Uma dolorosa realidade que não podemos ignorar…

Abril foi mais uma vez assinalado como mês da prevenção dos maus-tratos na infância. Respondendo a um apelo do Núcleo Hospitalar de Apoio às Crianças e Jovens em Risco (NHACJR) do HDE, procurámos dinamizar atividades no âmbito desta temática e mais especificamente para a promoção da Parentalidade Positiva, como proposto pelo núcleo.

Lemos com os nossos alunos o livro Uma questão de azul-escuro, da autoria de Margarida Fonseca Santos, e com eles elaborámos um cartaz para expor os nossos alertas.

           

Depois, no dia 8 de maio, participámos com colaboradores de variadas áreas profissionais na formação mandatória específica Violência e maus tratos a crianças e jovens – sensibilização geral, promovida no HDE pelo NHACJR. Esta ação teve, entre outros objetivos, “promover uma cultura de deteção e sinalização de maus tratos e ou situações de perigo na criança”. Como nos transmitiram os oradores, cada um de nós é importante na deteção e prevenção dos maus-tratos, seja a quem for. Ficou marcada na nossa mente a frase final:

Que ninguém fique de fora!

A realidade dos desejos concretizados

Viveram-se momentos de magia, trazidos pelos nossos amigos do Clube de Educação Tecnológica da Escola Básica e Integrada da Bobadela, desta vez a cores e ao vivo, que nos deram a possibilidade de tornar quase reais alguns dos nossos sonhos. Construímos uma “impressora manual” capaz de debitar valiosas notas de euro e extraordinários bilhetes de avião com destino ao mundo encantado de um parque temático fantástico.

Um viagem por momentos mágicos que nos divertiram!

A chegar a bom porto

Com a nossa viagem quase a chegar ao fim, vamos aportando em locais que nos confortam, nos dão vontade de continuar e nos transmitem conhecimento.

A visita dos museus

Museu do Mar

No dia 26 de abril, recebemos a visita de mediadores culturais do Serviço Cultural e Educativo do Bairro dos Museus, mais especificamente do Museu do Mar Rei D. Carlos: Eugénia Alves, Adelaide Palet, Vítor Ortiz e Lurdes Faustino.
Em primeiro lugar, foi dado a conhecer o acervo do museu através de fotografias, assim como realizada uma viagem virtual ao passado da bonita vila piscatória de Cascais.
Em seguida, a apresentação da animação Nem tudo o que vem à rede é peixe, teatro de luz negra, deu-nos a oportunidade de refletir sobre aspetos da biodiversidade, da preservação dos oceanos e das causas que têm levado à extinção de algumas espécies marinhas.

Uma tartaruga e um espadarte com uma garrafa presa no maxilar superior feitos de espuma cor de laranja pousados numa cadeira atrás do tapume.
A tartaruga e o espadarte à espera nos bastidores
Eugénia aponta para a imagem da família do rei D. Luís projetada no quadro interativo e os alunos escutam atentamente.
Eugénia dá informações sobre a família do rei D. Luís
Teatro de luz negra com figuras de peixes feitas em tecido de espuma e pintadas com tinta fluorescente.
O teatro de luz negra
Eugénia mostra o peixe em espuma cor de laranja aos alunos.
Eugénia mostra aos alunos de que são feitas as personagens

Centro Cultural de Cascais (CCC)

No dia 3 de maio, as mediadoras culturais Mariana Pinto e Tânia Furtado, do Serviço Cultural e Educativo dos Bairro dos Museus, ofereceram-nos um ateliê pleno de cor e criatividade.
A sessão Carimbos Artesanais começou com a apresentação do CCC e, a partir da exploração de alguns quadros do pintor Filipe Rocha da Silva, pertencentes à exposição permanente da Coleção da Fundação D. Luís I, exploraram-se os conceitos de Cor e Padrão com recurso a carimbos artesanais.
O resultado culminou numa grande cidade colorida e movimentada.

Os alunos escutam com atenção as mediadoras culturais do Centro Cultural de Cascais.
Apresentação em Power Point do Centro Cultural de Cascais
Uma mãe ajuda o seu filho que se encontra no mobile standing frame a fazer o trabalho com carimbos.
A jogar com as formas e as cores
Uma mãe e um filho em cadeira de rodas sentados numa secretária elaboram o seu trabalho de pintura.
Mãos à obra!
Um carimbo que representa um predio feito com várias camadas de papel eva.
Carimbos artesanais
Um aluno e pos seus pais trabalham em conjunto em folhas de papel aguarela e carimbos artesanais.
Fragmentos da cidade a tomarem cor e vida
A cidade colorida com formas que representam flores, nuvens, folhas, chuva, pessoas...
A cidade concluída

Para informação adicional sobre estas atividades, consulte, por favor, a nossa página de facebook Escola Básica Gracinda Antunes Valido e Projeto TeleAula.

Datas comemorativas

Comemorámos o dia 25 de abril com a leitura de uma adaptação do conto O Tesouro, de Manuel António Pina. Depois de alguns depoimentos sobre esta data histórica e outras explicações, os jovens e crianças presentes, assim como os seus pais, puderam cantar músicas, acompanhadas à guitarra, que celebram a Revolução dos Cravos.

A professora conta sentada a história acompanhada do professor que toca uma guitarra e os alunos escutam com atenção.
A leitura do conto
A professora olha para o  professor que gesticula a explicar algo.
Outros apontamentos sobre a Revolução dos Cravos

Viva a liberdade

Viva a liberdade!

Dedicámos os últimos dias de abril à descoberta da palavra liberdade.
O que é a liberdade? Que liberdades podemos ter? Que relação existe entre liberdade e direito?
Claro que a resposta mais ouvida foi “liberdade é poder fazer tudo o que queremos!”. É preciso refletir e consciencializar a ideia de liberdade…
E a liberdade política… onde existe? Como foi conquistada em Portugal?
Realizámos a leitura expressiva de um diálogo sobre a liberdade, a democracia e a ditadura.
Pintámos cravos e recontámos a história da nossa revolução.
No final, todos souberam apreciar o que custou a liberdade!