Comunicar em todo o lado

A Adelaide Palet do Forte São Jorge de Oitavos, Bairro dos Museus, (ou seja, o comandante Tadeu) voltou a visitar-nos, desta feita, acompanhada por um soldado muito tosco e por um canhão e seus apetrechos . Quando o comandante Tadeu grita “Fogo!”, o soldado Baltazar, sempre cheio de medo, coloca o bota-fogo que faz disparar a bala!

Através de uma réplica das várias peças que constituem um canhão, aprendemos como era disparado este engenho no século XVIII!

Por fim, jogámos um jogo divertido que se chamava Apontar – Disparar em que tentámos afundar os barcos piratas sem atingir os navios amigos.

Colocado no chão da sala, encontra-se uma réplica de um canhão e no quadro interativo está uma fotografia de vários tipos de canhões.

Alguns apetrechos do canhão: balas, cordas, pólvora.

Pormenor das fardas dos soldados.

O soldado Baltazar arrasta o canhão mas sem jeito nenhum.

Os alunos atiram uns sacos cheios de areia para um painel onde se encontram navios de piratas.

E como a comunicação existe na guerra e na paz, comemorámos a semana dos afetos com a leitura do livro Vem e abraça-me, de Michal Snunit, edição Vega, e com a realização do jogo interativo Quem abraça quem ou o que abraça o quê. Por exemplo, a montanha abraça o rio, o sol abraça o arco-íris, a mãe abraça o filho, a borboleta abraça a flor…
Percebemos que a linguagem do abraço é infinita, que cada abraço é único e que podemos e devemos recusar os abraços que não queremos.

A professora faz a leitura do livro e os alunos interagem com ela.

O livro em cima da prancheta da cadeira de um aluno.

Num quadro branco, encontram-se vários quadrados com desenhos semelhantes aos do livro e um aluno retira um deles.

Um aluno a fazer pares de abraços com os quadrados escolhidos.

A mediadora cultural do Museu do Mar Rei Dom Carlos, Eugénia Alves, visitou-nos para dar a conhecer este espaço museológico, situado em Cascais.
Com base na exposição temporária patente ao público nesta data, Alterações climáticas – Os Oceanos do futuro, falámos sobre as alterações climáticas e algumas das suas consequências, assim como sobre a importância dos oceanos e da fauna e flora que os habitam.

No ateliê que se seguiu, criámos uma espécie de aquário de brincar para que, sempre que tivermos saudades do mar, possamos trazê-lo até nós.

Uma sala cheia de alunos atentos à Eugénia a falar sobre os vários assuntos.

No quadro interativo encontra-se um diapositivo com tartarugas marinhas a alimentarem-se de objetos em plástico que confudem com os alimentos que fazem parte da sua alimentação.

No quadro interativo encontram-se oito conselhos que devemos pôr em prática no nosso quotidiano.

Dois aquários feitos pelos alunos: frascos em vidro cheios de líquido verde e azul, com areia no fundo e bonecos que representam peixes a nadar.

Um fevereiro muito animado!!!

No âmbito do projeto À descoberta da Mitologia tivemos  uma sessão que versou as metamorfoses. As atividades desenvolvidas neste dia foram muito interessantes e, como sempre, os alunos aderiram  com entusiasmo a este projeto.

Alunos e computador

Ainda neste âmbito, em parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian, os nossos alunos tiveram oportunidade de participar no espetáculo  Mitomóvel, no pavilhão Lions.  A artista Vera Alvelos contou-nos quatro mitos: Dibutada e Polemon, Deméter e Perséfone, Europa e Narciso. Estes mitos fizeram a delícia das crianças e jovens e dos seus  pais.

Vera Alvelos ajoelhada no chão com um animal branco na mão

Vera Alvelos na sala Lions

Através do projeto Academia Código Júnior, os nossos alunos continuaram a explorar o mundo da programação com uma equipa muito disponível  e simpática.

Equipa da Academia do Código - dois jovens ladeiam duas jovens

A visita do Dr. Tiago Vieira, do Museu da Água, trouxe aos nossos alunos a oportunidade de explorar o ciclo da água através da visualização de uma apresentação e de um filme. No final, os nossos alunos construíram um puzzle.

Dr. Tiago Vieira e alunos a ver apresentação no computador

Puzzle do Ciclo da Água

Em parceria com a Educadora Maria Miranda dinamizámos o Carnaval no Serviço de Pediatria. Neste projeto, como é habitual,  escolhemos um tema, pesquisámos sobre o mesmo e confecionámos os fatos para os vários profissionais.  O tema escolhido, como pode ver-se nas fotos, foi os Pinguins.

Composição fotográfica com alunos, professoras, educadoras ,etc vestidos de pinguins

A diversidade na/da comunicação

A escola do HSM saiu do hospital e foi a duas escolas de Salvaterra de Magos falar do trabalho que se faz numa escola de hospital.

Professora Sara fala para plateia de alunos

Professora Sara com agentes da Escola Segura e professora mostra postais

E viemos de lá mais ricos 🙂 com os postais enviados para os nossos alunos.

Aluno do Hospital vê postais entregues

Mão de aluno com cateter e postal

A Evelina e a Ana do Pavilhão do Conhecimento, trouxeram-nos elementos da natureza dos quais extraímos pigmentos de várias cores para “fabricar” tintas. Juntámos água, pegámos nos pincéis e pintámos em telas de tecido. Adorámos a experiência e as pinturas ficaram espetaculares!

Animadoras do Pavilhão do Conhecimento com alunos do Hospital

Mãos de aluna a coar pasta vegetal verde

Mãos de aluno a misturar água em pasta azul

Almofariz com pasta e corante roxo

Alunos pintam com as tintas fabricadas

Mãos de aluno com pincel e dois quadros pintados com as tintas fabricadas

Quador pintado com as tintas fabricadas

Quadro pintado com as tintas fabricadas

Também tivemos a visita virtual da nossa amiga Evelina em que falámos sobre circuitos elétricos e construímos postais pop-up com sapos de sorrisos luminosos!

Evelina (videoconferência), professora Sara a mostra um sapo em cartão e alunos

Alkuna com led verde, componentes electrónicos e postal quase pronto

Alunos colam fita de cobre no postal

Sapo de papel com a boca aberta iluminada

O professor Paulo Torcato trouxe-nos dois robots e estivemos a “ensiná-los” a fazer várias habilidades!

Professor Paulo Torcato, robot e alunos

Alunos programam em tablet

Professoras Diana e Sara, robots e alunos