Maçãs e pontos: a diversidade

O jogo das maçãs foi a atividade escolhida para dar as boas-vindas ao novo ano letivo, para nos darmos a conhecer e, sobretudo, para os alunos desenvolverem a criatividade e a capacidade de raciocínio, refletirem sobre a diversidade nos seres humanos e criarem empatia na igualdade e na diferença.
Seguiu-se um debate sobre os sinais de identidade, a capacidade de os identificar e o direito à diferença.

Maçãs de várias espécies distribuídas sobre uma secretária e um post it debaixo de cada uma.

Um aluno mostra a sua maçã e fala sobre ela.

Um aluno mostra a sua maçã e fala sobre ela.

Um aluno mostra a sua maçã e fala sobre ela.

Um aluno mostra a sua maçã e fala sobre ela.

Um aluno mostra a sua maçã e fala sobre ela.

Um aluno mostra a sua maçã e fala sobre ela.

Um aluno mostra a sua maçã e fala sobre ela.

Por fim, conhecemos virtualmente o fotógrafo William Mullan e o seu livro Odd Apples que nos revela a incrível diversidade de espécies de maçãs que existe no nosso Mundo.

Os alunos visionam um power point no quadro interativo sobre a diversidade de espécies de maçãs.

Os alunos visionam um power point no quadro interativo sobre a diversidade de espécies de maçãs.

Celebrámos o Dia Internacional do Ponto, que tem como principal objetivo estimular a criatividade nas pessoas de todas as idades, com uma sessão de leitura e a elaboração, ao som dos Calema, de verdadeiras obras de arte, todas assinadas pelos seus autores.
Esta data baseia-se no livro O Ponto, de Peter H. Reynolds, que nos conta a história de uma professora que pede a uma aluna, a Vera, para fazer a sua marca através de um ponto.
A partir deste conto, professores reais levaram esta ideia para as escolas e pediram aos seus alunos para darem largas à imaginação através de um ponto desenhado no quadro ou numa folha de papel. E, assim, nasceu o Dia Internacional do Ponto!

O livro "O ponto" em cima de uma secretária pronto para ser lido.

Materiais de pintura como lápis de cor e de cera e canetas de feltro dispostos em cima da mesa junto do livro "O ponto".

Um aluno preenche o seu ponto, uma circunferência grande com várias cores.

Uma aluna pinta o seu ponto dentro e fora da circunferência com cores, letras e desenhos.

Um aluno pinta com a boca o seu ponto, colorindo a lápis de cor dentro e fora da circunferência.

Um aluno mostra o seu trabalho terminado.

Alguns alunos com a professora a trabalharem.

O trabalho de um aluno: um ponto colorido no seu interior com cores suaves que quase imitam ondas de um mar calmo.

Dois trabalhos de dois alunos. Um tem dentro do seu ponto a máscara de uma das suas personagens favoritas da anime "Naruto": Tobi Madara. O outro tem um ponto cor-de-rosa, rodeado de desenhos e de letras.

Dois trabalhos de dois alunos. Um tem, dentro do seu ponto, várias circunferências. Outro tem, dentro do seu ponto, sem ultrapassar o limite da circunferência, várias cores que preenchem todo o círculo, como se um planeta.fosse

O trabalho de um aluno que coloriu o seu círculo com figuras humanas em cima de relva. Fora da circunferência, existem o sol, o céu e tantos outros rabiscos.

O trabalho de um aluno: espirais desenhadas em várias cores, sendo que uma sobressai por estar a preto, que começam no centro do círculo e saem do limite da circunferência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *