Breves narrativas natalícias e outras

A partir da leitura da obra de Rosana Faría e Menena Cottin, O livro negro das cores, da Bruaá Editora, abordámos temas como a cegueira, o código Braille e o seu criador, as cores e os sentidos, entre outros. Fizemos um jogo de descoberta divertido em que a sensação tátil e, por vezes, a olfativa estiveram em alerta máximo.

A professora lê a história aos seus alunos e mostra-lhes as imagens quase invisíveis do livro.O livro abordado, outro escrito em Braille e alguns dos objetos que foram alvo de descoberta no jogo.Realização do jogo sensorial: uma caixa de cartão com duas aberturas de lado através das quais os alunos enfiam as suas mãos e procuram através de palpação descobrir o objeto que lhes calhou.Realização do jogo sensorial: uma caixa de cartão com duas aberturas de lado através das quais os alunos enfiam as suas mãos e procuram através de palpação descobrir o objeto que lhes calhou.

Os quadros do pintor francês Pierre Soulages foram uma ponte para este livro. Depois de visualizarmos alguns dos seus quadros, descobrimos semelhanças nas ilustrações de Rosana Faría. Assim, inspirados pelas técnicas artísticas do pintor, criámos as nossas obras pessoais.

Uma aluna pinta com um rolo a sua tela.Uma aluna pinta com um rolo a sua tela

Um aluno com um rolo sobrepõe a cor negra sobre as cores anteriores. Uma aluno pinta com um rolo a cor negra sobre a tela que já tem outras cores pintadas previamente. Uma tela na qual o aluno riscou com um pauzinho de madeira o seu autorretrato e nome.

A mesma técnica utilizada nesta tela, na qual a aluna desenhou um sol, flores e escreveu Lay, o seu diminutivo. Uma aluna, utilizando um raspador de queijo, imprime desenhos sobre a cor negra da tela que deixam ver a cor previamente pintada - o azul.

Donde vem a pimenta?, de Brigitte Raab e Manuela Olten, editora Gatafunho, deu origem a perguntas e reflexões como, por exemplo, O que é uma bússola?, Por que será que o mar é salgado?. Enfim, algumas perguntas e muitas respostas cheias de imaginação. Os alunos puderam cheirar pimenta, observar vários tipos de sal, bússolas e, ainda, através do quadro interativo, visionar filmes que documentavam as respostas dadas.

O livro sobre a mesa, bússolas e frascos com pimenta e vários tipos de sal. A professora mostra aos seus alunos alguns exemplos de pimenta e sal. Uma aluna a observar uma bússola.

A oficina de papel reciclado deu-nos a possibilidade de criar lindos postais de Natal nos quais utilizámos a chamada técnica do guardanapo.

Os alunos fazem a pasta de papel com a ajuda de uma varinha mágica.  Os alunos fazem a pasta de papel com a ajuda de uma varinha mágica.

A professora mostra aos alunos a peneira com a qual se faz a folha de papel. A professora dá explicações sobre a secagem das folhas de papel.

A peneirar e a escorrer a água para fazer uma folha de papel. Uma aluna a compor a sua folha de papel. Alguns postais de Natal já secos e prontos a serem oferecidos.

Recebemos a visita da Andreia Dias e da Susana Varatojo, do Serviço Educativo do Centro de Arte Moderna e do Serviço Educativo do Jardim, da Fundação Calouste Gulbenkian, que nos trouxeram pedaços dos lindos jardins deste espaço museológico para dinamizar uma atividade que se chamava A vida nas árvores.

Todos os nossos sentidos ficaram bem acordados! E ainda houve tempo para expressarmos a capacidade criativa e artística.

A Susana Varatojo a mostrar pedaços de jardim: um caracol, uma pedra, minerais, entre outros. A Susana Varatojo a falar sobre a vida nas árvores. Um aluno observa com a ajuda de uma lupa uma pedra do jardim. Os alunos e mães pintam o seu jardim individual. Um aluno a fazer o seu jardim através de desenho e colagem.

O caracol a passear sobre as mãos de um aluno.A Andreia Dias mostra a um aluno acamado uma pedra do jardim.  Uma aluna segura e observa um cogumelo.

Um dos jardins desenhado e pintado. Um dos jardins desenhado e pintado.

Realizámos um encontro para falar sobre os símbolos do Natal e, assim, surgiram perguntas, respostas, histórias ancestrais e outras mais modernas, partilha de ideias, poemas e decorações lindas.

A professora explica com a ajuda de um globo terrestre de onde é natural o Pai Natal. A circunferência de um aluno decorada com o seu sonho de Natal. Circunferências decoradas com sonhos de Natal. As circunferência enfeitam a porta da escola e formam um pinheiro. A professora ajuda um aluno na escrita do seu sonho. Mães e alunos ouvem com atenção uma história contada pela professora.
Os nossos poemas de Natal.

Ao longo de duas semanas, fomos construindo presentes e outras decorações de Natal, intercalando as obrigações escolares com estes momentos de descontração e criatividade. A partir de carrinhos de linha reciclados, criámos uma breve narrativa ilustrada do nascimento de Jesus Cristo. Com pautas de música, elaborámos postais de boas festas com o símbolo da árvore de Natal. Com rolos de papel higiénico reciclado, fizemos estrelas.
Carrinhos de linhas enfeitados e tiras de papel no qual os alunos escreveram a narrativa e pintaram o presépio. Carrinhos de linhas reciclados e tiras de papel no qual os alunos escreveram a narrativa e pintaram o presépio. Os carrinhos de linhas já enrolados e prontos para serem oferecidos. Alguns dos postais de Natal nos quais predominam os seguintes motivos: árvore de Natal, música e pombas.

Um aluno pinta uma estrela feita com tiras de rolos de papel higiénico. As estrelas de Natal feitas com tiras de papel higiénico e pintadas com várias cores.
O Museu da Música Portuguesa – Casa Verdades de Faria, no âmbito do projeto O Museu vai ao Hospital, trouxe ao grande auditório do CMRA uma magnífica atividade com a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras (OCCO), conduzida pelo maestro Nikolay Lalov, que pretendeu aproximar a música clássica e os instrumentos musicais das crianças, jovens e adultos. Esta sessão de música ao vivo foi orientada para a descoberta da música e percorreu vários géneros musicais e períodos da história da música.
O Maestro Lalov explica ao público alguns aspetos da música com o quarteto de cordas atrás de si. Uma visão geral do auditório. Um aluno oferece um presente de agradecimento a uma violinista. O Maestro Lalov a explicar o funcionamento dos instrumentos musicais.

A turma do 9.º ano, do professor Fernando Campos, e a professora bibliotecária Carmen Sheehan do Agrupamento de Escolas Ibn Mucana, com quem temos uma parceria, visitaram-nos para assistir ao concerto da Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras. No final, houve uma troca de postais de Boas Festas. Adorámos a visita!

O nosso jornal de parede.
O jornal de parede com os poemas pendurados e com as estrelas e árvores de Natal pintadas.
Desejamos a todos um feliz Natal e bom Ano Novo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *