Apresentação

O primeiro projeto TeleAula nos hospitais nasceu no Hospital de Dona Estefânia (HDE), no dia 17 de setembro de 1998, com o nome TeleAula: Presente.

A celebração de um protocolo entre a Administração do Hospital, a Portugal Telecom e a Direcção Regional de Educação de Lisboa (DREL) permitiu equipar uma enfermaria e a Escola Básica n.º 94 (escola de 1º ciclo do HDE) com um sistema de videoconferência que respondia às necessidades de escolarização do Nuno, um aluno com osteogénese imperfeita.

No ano seguinte, iniciou-se o projeto TeleAula: Espaços Virtuais de Aprendizagem, no Instituto Português de Oncologia de Lisboa, Francisco Gentil (IPO). No entanto, a inexistência de uma escola oficial no IPO obrigou ao destacamento de três professores por parte do Ministério da Educação.

O desafio lançado pelo CANTIC de ligação dos hospitais a escolas de referência levou à criação de cinco novos espaços educativos em hospitais da Grande Lisboa (CMRA, HDE, HSM, HGO, IPO). Desde então, os professores que têm participado nesta experiência de escolarização de crianças internadas, tanto no Hospital como nas escolas de referência, trabalham em conjunto para criar uma dinâmica de partilha e aprendizagem cujos frutos os alunos testemunham diariamente e que este blogue quer mostrar a todos os que nos quiserem acompanhar na aventura.

Para saber mais sobre a génese e a história deste trabalho, consulte o artigo “TeleAula: Um recurso educativo para alunos que não podem ir à escola” na Revista Diversidades n.º 7 (pp. 10-16) e veja o vídeo TeleAula: Outras Dimensões.