O espaço escolar de Alcoitão

 No ano passado, a Escola Básica nº 2 de Alcoitão, do Agrupamento de Escolas de Alcabideche, mudou o nome para Escola Básica Gracinda Antunes Valido. Esta Escola funciona numa sala de aula única nas instalações do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão (CMRA).

A terapeuta Gracinda Valido trabalha no CMRA desde 1982 e, no âmbito da alteração da designação da escola, foi o centro de várias reportagens na comunicação social. Destacamos o texto do Diário de Notícias O que há no nome desta escola? Uma vida dedicada à terapia da fala.

A Escola Básica nº 2 de Alcoitão nasceu em 1967, no ano seguinte ao início do funcionamento do CMRA e trabalhava apenas com alunos do 1º ciclo.

No ano 2000, o CANTIC criou o projecto TeleAula: Relações Virtuais de Aprendizagem, iniciativa que juntou os Ministérios da Educação e da Saúde e que permitiu, com a participação financeira da (actual) ANACOM, equipar uma sala do Hospital com tecnologias proporcionando, desta forma, o apoio escolar aos alunos dos 2º e 3º ciclos e secundário.

Alguns anos depois, a redefinição dos espaços hospitalares obrigou à mudança do trabalho com estes alunos para a sala da Escola Básica nº2, situação que se mantém até hoje.

Viagens com cheiro a verão!!!!!!

Viajando pelo projeto TeleAula

Os alunos da EBI da Bobadela fizeram-nos uma surpresa.
Visitaram o serviço e trouxeram uma máquina especial. Foi uma delícia!!!!
Uma máquina de fazer “dinheiro”….. e ensinaram-nos a construí-la! Só é pena as notas não serem válidas!!!!

 

 

 

Continuando nas viagens pelo mundo… voltámos a visitar sítios longínquos e traços culturais de diferentes povos com os alunos do HSM.

 

 

 

Viajando no tempo

O projeto mitologia ofereceu-nos duas viagens fantásticas: a guerra de Tróia e as aventuras de Jasão e os argonautas.

 

Viagens pelo arraial dos Santos Populares

E como é nossa tradição… comemorámos os Santos Populares com muita animação!!!!
Aqui fica o altar com o Santo da nossa cidade: Santo António!!!

Últimas histórias de viagens

O professor Paulo Torcato proporcionou a uma das nossas jovens momentos de aprendizagem com a ajuda do robot – fizemos programação e robótica. Foram noventa minutos de alegria e empenho e ficou provado que O Robot Ajuda!


Lançámos alguns desafios em 77 palavras certinhas aos nossos alunos.
Estes são alguns dos trabalhos que acabámos por publicar no blogue Histórias em 77 palavras da escritora Margarida Fonseca Santos, uma comunidade de escritores.

Também viajámos até ao tempo em que as galinhas tinham dentes! Sim, a Sandra e a Inês do Pavilhão do Conhecimento disseram-nos que as aves de hoje são os descendentes mais próximos dos dinossauros.
Depois de sabermos mais curiosidades, fizemos a replicação de uma garra de dinossauro.
Foi uma tarde bem passada e ainda bem que os dinossauros de hoje são mais atraentes do que eram!

Viagens reais entre ilusões e fantasias

Cá estamos nós em plena reta final da nossa viagem deste ano… e que FINAL!!!!!!!

Semana da Criança no HDE

De 30 de maio a 2 de junho, decorreu no HDE a Semana da Criança, evento anualmente coordenado pelo Gabinete de Comunicação do CHLC com a colaboração dos agentes educativos e outras instituições.
Entre as muitas atividades que decorreram durante a semana, jogos, contos, origami, teatro, destacamos duas delas: a Sessão de Magia e Workshop de Balões e o convívio Sonhos Mágicos.

Fomos presenteados com um magnífico espetáculo de Magia, pelos fabulosos mágicos Rovit e Rui Fernandes.
Que divertido foi ver o Mágico Rui “trocando de propósito” as cores dos lenços, baralhando-nos e arrancando grandes risadas.

O Mágico Rovit apareceu calçado com uma meia de cada cor que por artes mágicas viajou de um estendal para os seus pés.

E o momento em que o Micael escolheu ao acaso como queria que ficasse o seu boneco de balão e num passo de Magia, este apareceu mesmo?!…FOI  FENOMENAL!

Aprendemos ainda com os nosso mágicos os passos básicos de como construir esculturas com balões. O Mágico Rovit demonstrou-nos como modelar um cão e uma flor e depois ensinou-nos a construir uma espada.

No final cada um saiu feliz com a sua espada.
No espetáculo Sonhos Mágicos, dinamizado por alunos de duas turmas de cursos profissionais – de técnico de apoio familiar e de apoio à comunidade e de técnico de desporto – de um dos centros educativos da Casa Pia e seus professores, viajámos, a convite das Educadoras do HDE, até ao mundo do Kizomba.
Que felicidade foi ver todos a dançarem e a cantarem… as doenças foram esquecidas e ficaram de fora.
FOI MUITO BOM!!!!

Mas a festa ainda não acabou porque…

Que Bom é Receber os Amigos

No dia 6 de junho, a Rebeca recebeu a visita dos colegas da sua turma 6º A, da EBI Patrício Prazeres, da sua Diretora de Turma, da professora de Português e da professora de Educação Especial.
Mais uma vez, a brincadeira esteve em alta. No Jardim da Bia jogou-se à Cabra-Cega, ao Quantos-Queres, ao Lenço à Barra, ao Galo, entre outros.

Mas se conviver é muito bom, uma boa comidinha vem mesmo a calhar. Eram tantas as iguarias, que o lanchinho transformou-se num Picnicão.

Na despedida, a nossa Rebeca presenteou cada colega com um poema em rima (rima que exprima e que mima) dedicado ao nome de cada um.

Mais uma manhã muito divertida.

Nova viagem pelas capitais europeias com a roleta magnética

Na última TeleAula deste ano letivo, viajámos por algumas das capitais da Europa, com os nossos amigos do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão. Jogámos o Jogo da Roleta Magnética, jogo concebido pelos nossos amigos do Clube de Educação Tecnológica (CET) da Escola Básica Integrada da Bobadela, no segundo período.
O jogo foi renhido, sem vencedores e sem vencidos. Bom mesmo foi viajarmos em conjunto!

Sol e sorrisos para todos!

“Viajar é mudar a roupa da alma”

Viagens por dentro da Ciência e da Literatura

A turma do 6º C, da Escola Básica de Alcabideche, visitou-nos, acompanhada da professora Alexandra, com o intuito de partilhar experiências científicas com os alunos do Alcoitão.
Além da visualização de preparações definitivas no microscópio, foram também realizadas experiências como Corrida de Balões, Ilusão Canário, Balão Mágico, Escrita Mágica, Impressões Digitais, Bolas Saltitonas, Cromatografia em Papel e Vulcão.
Para terminar em cheio, tivemos um momento de convívio com direito a lanche!

Vários alunos na sala observam uma experiência que está a ser descrita pela professora; um aluno em cadeira de rodas levanta o braço para tirar dúvidas.
Cromatografia em papel e dúvidas
Um aluno em cadeira de rodas faz a experiência da escrita mágica sob orientação da professora.
Escrita mágica

Cinco alunos de Alcabideche fazem a experiência das Bolas Saltitonas.
Os alunos de Alcabideche fazem a experiência das Bolas Saltitonas
Dois alunos de Alcabideche elaboram a experiência do vulcão em erupção.
A experiência do Vulcão

No dia 1 de junho, celebrámos o Dia Mundial da Criança com a apresentação de um teatro de sombras. O texto dramático A lenda das sombras chinesas e do Imperador que recitava Camões foi elaborado pelos alunos mais velhos do 6º e 8º anos, a partir da lenda chinesa que narra a génese das sombras chinesas. Este texto dramático apresenta alguns excertos da lírica camoniana que tiveram como objetivo familiarizar os alunos com a obra do poeta português. No final do espetáculo, a plateia ainda teve direito a algumas curiosidades do mundo do teatro como, por exemplo, a função das pancadas de Molière.

Numa mesa encontram-se pedaços de cartolina e de papel celofane, madeiras e um livro de Luís de Camões.
A mesa de trabalho
Um aluno aparafusa a caixa do teatro de madeira.
A montar o teatro de madeira
Um aluno corta cartolina preta para fazer os cenários.
A construir os cenários
A sala com cadeiras vazias e o teatro de madeira com as sombras ao fundo, antes de começar.
Antes de começar
Uma plateia de muita gente, desde crianças e jovens a mães e terapeutas.
A plateia
A professora e um aluno manipulam as marionetas e outra professora fotografa o espetáculo.
Durante o espetáculo

 

A visita dos Museus

O Museu do Mar Rei D. Carlos fechou com chave de ouro as sessões de atividades propostas no âmbito da parceria estabelecida entre o projeto TeleAula, do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, e o projeto Envolve-te, do Bairro dos Museus. As mediadoras culturais trouxeram-nos o ateliê Trabalhos com escamas e espinhas de peixe mas, antes, pudemos ouvir histórias da família do rei D. Carlos bem como caraterísticas e particularidades de algumas espécies marinhas, mais precisamente do tubarão. Tivemos o privilégio de observar um tubarão bebé conservado em clorofórmio (acervo do Museu) assim como um espécime verdadeiro trazido do mercado da vila de Cascais.
Colorimos espinhas e escamas com corantes alimentares e realizámos trabalhos coloridos invulgares.
A sala transformou-se num laboratório de Ciência e Arte!

Eugénia dá informações aos alunos presentes sala.
A ouvir os ensinamentos da mediadora cultural Eugénia
Um aluno observa com uma lupa a pele de um tubarão / cação.
Um aluno observa à lupa um espécime de tubarão verdadeiro
Em cima de uma secretária veem-se escamas brancas e um golfinho e um tubarão em plástico.
Como respiram os mamíferos marinhos e os tubarões
Eugénia tem na mão uma mica onde se vê dentro duas bolsas de ovos de tubarão.
Eugénia mostra duas bolsas de ovos de tubarão encontradas na Praia da Poça
Dois alunos tocam na pele do tubarão trazido do mercado da vila.
A sentir a pele do tubarão
Os alunos t~em à sua volta escamas de todas as cores e passam cola pelos moldes de sardinhas.
Mãos à obra!
Um aluno mexe com um pincel o corante alimentar misturado com água dentro de um frasco. Em cima da mesa encontra-se o frasco com o tubarão conservado em clorofórmio.
A colorir as escamas
Um aluno assina o seu trabalho: uma sardinha coberta com escamas de peixe de várias cores.
Assinatura final

Dia da Criança

Hoje é um dia especial: o Dia da Criança!!!!
O Dia da Criança nasceu após a segunda guerra mundial, com a finalidade de sensibilizar a comunidade internacional para os problemas que atingiam tantas crianças no mundo.
Muitos anos passados, e ainda que muito tenha sido feito, o caminho até uma sociedade mais equitativa, que atenda às necessidades de todas as crianças em todas as partes do mundo, ainda é longo.
Hoje, relembramos os direitos das crianças e a necessidade de uma postura ativa na busca de uma sociedade mais equilibrada.

Todas as crianças têm o direito à vida e à liberdade. 

Todas as crianças devem ser protegidas da violência doméstica. 

Todas as crianças são iguais e têm os mesmos direitos, independentemente da cor, raça, sexo, religião, origem social ou nacionalidade.

Todas as crianças devem ser protegidas pela família e pela sociedade.

Todas as crianças têm direito a uma nacionalidade. 

Todas as crianças têm direito a alimentação e ao atendimento médico. 

As crianças com necessidades especiais têm direito a educação e cuidados especiais. 

Todas as crianças têm direito ao amor e à compreensão dos pais e da sociedade.

Todas as crianças têm direito à educação. 

Todas as crianças têm direito de não ser violentadas verbalmente ou agredidas pela sociedade.

Todas as crianças têm direito a ser protegidas contra o consumo e tráfico de droga.

Para além deste resumo, convidamos à leitura integral da Convenção sobre os Direitos da Criança.

Episódios de viagem

O professor Paulo Torcato voltou à nossa escola com O Robot Ajuda!
Fizemos uma sessão de programação em Scratch com um dos nossos jovens.

A TeleAula com a escola do IPO foi cheia de surpresas! Duas das alunas que participaram na sessão frequentam a mesma escola de origem e ambas foram alunas na escola do HSM.

Com tantas emoções, viajámos mais uma vez pelo mundo e divertimo-nos muito.

Além disso, a Ciência voltou à nossa escola!

A Sandra e a Andreia do Pavilhão do Conhecimento trouxeram um conjunto de experiências que deliciaram o nosso jovem cientista. O seu entusiasmo contagiou-nos!!!

Depois, e numa sessão de videoconferência, com a orientação da Sandra do Pavilhão do Conhecimento, transformámos a nossa escola num laboratório. 

Usando o processo de gelificação, “cozinhámos” caviar e esparguete de fruta!!!!
Foi uma sessão deliciosa.

Viagem entre realidades

Uma dolorosa realidade que não podemos ignorar…

Abril foi mais uma vez assinalado como mês da prevenção dos maus-tratos na infância. Respondendo a um apelo do Núcleo Hospitalar de Apoio às Crianças e Jovens em Risco (NHACJR) do HDE, procurámos dinamizar atividades no âmbito desta temática e mais especificamente para a promoção da Parentalidade Positiva, como proposto pelo núcleo.

Lemos com os nossos alunos o livro Uma questão de azul-escuro, da autoria de Margarida Fonseca Santos, e com eles elaborámos um cartaz para expor os nossos alertas.

           

Depois, no dia 8 de maio, participámos com colaboradores de variadas áreas profissionais na formação mandatória específica Violência e maus tratos a crianças e jovens – sensibilização geral, promovida no HDE pelo NHACJR. Esta ação teve, entre outros objetivos, “promover uma cultura de deteção e sinalização de maus tratos e ou situações de perigo na criança”. Como nos transmitiram os oradores, cada um de nós é importante na deteção e prevenção dos maus-tratos, seja a quem for. Ficou marcada na nossa mente a frase final:

Que ninguém fique de fora!

A realidade dos desejos concretizados

Viveram-se momentos de magia, trazidos pelos nossos amigos do Clube de Educação Tecnológica da Escola Básica e Integrada da Bobadela, desta vez a cores e ao vivo, que nos deram a possibilidade de tornar quase reais alguns dos nossos sonhos. Construímos uma “impressora manual” capaz de debitar valiosas notas de euro e extraordinários bilhetes de avião com destino ao mundo encantado de um parque temático fantástico.

Um viagem por momentos mágicos que nos divertiram!

A chegar a bom porto

Com a nossa viagem quase a chegar ao fim, vamos aportando em locais que nos confortam, nos dão vontade de continuar e nos transmitem conhecimento.

A visita dos museus

Museu do Mar

No dia 26 de abril, recebemos a visita de mediadores culturais do Serviço Cultural e Educativo do Bairro dos Museus, mais especificamente do Museu do Mar Rei D. Carlos: Eugénia Alves, Adelaide Palet, Vítor Ortiz e Lurdes Faustino.
Em primeiro lugar, foi dado a conhecer o acervo do museu através de fotografias, assim como realizada uma viagem virtual ao passado da bonita vila piscatória de Cascais.
Em seguida, a apresentação da animação Nem tudo o que vem à rede é peixe, teatro de luz negra, deu-nos a oportunidade de refletir sobre aspetos da biodiversidade, da preservação dos oceanos e das causas que têm levado à extinção de algumas espécies marinhas.

Uma tartaruga e um espadarte com uma garrafa presa no maxilar superior feitos de espuma cor de laranja pousados numa cadeira atrás do tapume.
A tartaruga e o espadarte à espera nos bastidores
Eugénia aponta para a imagem da família do rei D. Luís projetada no quadro interativo e os alunos escutam atentamente.
Eugénia dá informações sobre a família do rei D. Luís
Teatro de luz negra com figuras de peixes feitas em tecido de espuma e pintadas com tinta fluorescente.
O teatro de luz negra
Eugénia mostra o peixe em espuma cor de laranja aos alunos.
Eugénia mostra aos alunos de que são feitas as personagens

Centro Cultural de Cascais (CCC)

No dia 3 de maio, as mediadoras culturais Mariana Pinto e Tânia Furtado, do Serviço Cultural e Educativo dos Bairro dos Museus, ofereceram-nos um ateliê pleno de cor e criatividade.
A sessão Carimbos Artesanais começou com a apresentação do CCC e, a partir da exploração de alguns quadros do pintor Filipe Rocha da Silva, pertencentes à exposição permanente da Coleção da Fundação D. Luís I, exploraram-se os conceitos de Cor e Padrão com recurso a carimbos artesanais.
O resultado culminou numa grande cidade colorida e movimentada.

Os alunos escutam com atenção as mediadoras culturais do Centro Cultural de Cascais.
Apresentação em Power Point do Centro Cultural de Cascais
Uma mãe ajuda o seu filho que se encontra no mobile standing frame a fazer o trabalho com carimbos.
A jogar com as formas e as cores
Uma mãe e um filho em cadeira de rodas sentados numa secretária elaboram o seu trabalho de pintura.
Mãos à obra!
Um carimbo que representa um predio feito com várias camadas de papel eva.
Carimbos artesanais
Um aluno e pos seus pais trabalham em conjunto em folhas de papel aguarela e carimbos artesanais.
Fragmentos da cidade a tomarem cor e vida
A cidade colorida com formas que representam flores, nuvens, folhas, chuva, pessoas...
A cidade concluída

Para informação adicional sobre estas atividades, consulte, por favor, a nossa página de facebook Escola Básica Gracinda Antunes Valido e Projeto TeleAula.

Datas comemorativas

Comemorámos o dia 25 de abril com a leitura de uma adaptação do conto O Tesouro, de Manuel António Pina. Depois de alguns depoimentos sobre esta data histórica e outras explicações, os jovens e crianças presentes, assim como os seus pais, puderam cantar músicas, acompanhadas à guitarra, que celebram a Revolução dos Cravos.

A professora conta sentada a história acompanhada do professor que toca uma guitarra e os alunos escutam com atenção.
A leitura do conto
A professora olha para o  professor que gesticula a explicar algo.
Outros apontamentos sobre a Revolução dos Cravos