Últimas histórias de viagens

O professor Paulo Torcato proporcionou a uma das nossas jovens momentos de aprendizagem com a ajuda do robot – fizemos programação e robótica. Foram noventa minutos de alegria e empenho e ficou provado que O Robot Ajuda!


Lançámos alguns desafios em 77 palavras certinhas aos nossos alunos.
Estes são alguns dos trabalhos que acabámos por publicar no blogue Histórias em 77 palavras da escritora Margarida Fonseca Santos, uma comunidade de escritores.

Também viajámos até ao tempo em que as galinhas tinham dentes! Sim, a Sandra e a Inês do Pavilhão do Conhecimento disseram-nos que as aves de hoje são os descendentes mais próximos dos dinossauros.
Depois de sabermos mais curiosidades, fizemos a replicação de uma garra de dinossauro.
Foi uma tarde bem passada e ainda bem que os dinossauros de hoje são mais atraentes do que eram!

Viagens reais entre ilusões e fantasias

Cá estamos nós em plena reta final da nossa viagem deste ano… e que FINAL!!!!!!!

Semana da Criança no HDE

De 30 de maio a 2 de junho, decorreu no HDE a Semana da Criança, evento anualmente coordenado pelo Gabinete de Comunicação do CHLC com a colaboração dos agentes educativos e outras instituições.
Entre as muitas atividades que decorreram durante a semana, jogos, contos, origami, teatro, destacamos duas delas: a Sessão de Magia e Workshop de Balões e o convívio Sonhos Mágicos.

Fomos presenteados com um magnífico espetáculo de Magia, pelos fabulosos mágicos Rovit e Rui Fernandes.
Que divertido foi ver o Mágico Rui “trocando de propósito” as cores dos lenços, baralhando-nos e arrancando grandes risadas.

O Mágico Rovit apareceu calçado com uma meia de cada cor que por artes mágicas viajou de um estendal para os seus pés.

E o momento em que o Micael escolheu ao acaso como queria que ficasse o seu boneco de balão e num passo de Magia, este apareceu mesmo?!…FOI  FENOMENAL!

Aprendemos ainda com os nosso mágicos os passos básicos de como construir esculturas com balões. O Mágico Rovit demonstrou-nos como modelar um cão e uma flor e depois ensinou-nos a construir uma espada.

No final cada um saiu feliz com a sua espada.
No espetáculo Sonhos Mágicos, dinamizado por alunos de duas turmas de cursos profissionais – de técnico de apoio familiar e de apoio à comunidade e de técnico de desporto – de um dos centros educativos da Casa Pia e seus professores, viajámos, a convite das Educadoras do HDE, até ao mundo do Kizomba.
Que felicidade foi ver todos a dançarem e a cantarem… as doenças foram esquecidas e ficaram de fora.
FOI MUITO BOM!!!!

Mas a festa ainda não acabou porque…

Que Bom é Receber os Amigos

No dia 6 de junho, a Rebeca recebeu a visita dos colegas da sua turma 6º A, da EBI Patrício Prazeres, da sua Diretora de Turma, da professora de Português e da professora de Educação Especial.
Mais uma vez, a brincadeira esteve em alta. No Jardim da Bia jogou-se à Cabra-Cega, ao Quantos-Queres, ao Lenço à Barra, ao Galo, entre outros.

Mas se conviver é muito bom, uma boa comidinha vem mesmo a calhar. Eram tantas as iguarias, que o lanchinho transformou-se num Picnicão.

Na despedida, a nossa Rebeca presenteou cada colega com um poema em rima (rima que exprima e que mima) dedicado ao nome de cada um.

Mais uma manhã muito divertida.

Nova viagem pelas capitais europeias com a roleta magnética

Na última TeleAula deste ano letivo, viajámos por algumas das capitais da Europa, com os nossos amigos do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão. Jogámos o Jogo da Roleta Magnética, jogo concebido pelos nossos amigos do Clube de Educação Tecnológica (CET) da Escola Básica Integrada da Bobadela, no segundo período.
O jogo foi renhido, sem vencedores e sem vencidos. Bom mesmo foi viajarmos em conjunto!

Sol e sorrisos para todos!

Episódios de viagem

O professor Paulo Torcato voltou à nossa escola com O Robot Ajuda!
Fizemos uma sessão de programação em Scratch com um dos nossos jovens.

A TeleAula com a escola do IPO foi cheia de surpresas! Duas das alunas que participaram na sessão frequentam a mesma escola de origem e ambas foram alunas na escola do HSM.

Com tantas emoções, viajámos mais uma vez pelo mundo e divertimo-nos muito.

Além disso, a Ciência voltou à nossa escola!

A Sandra e a Andreia do Pavilhão do Conhecimento trouxeram um conjunto de experiências que deliciaram o nosso jovem cientista. O seu entusiasmo contagiou-nos!!!

Depois, e numa sessão de videoconferência, com a orientação da Sandra do Pavilhão do Conhecimento, transformámos a nossa escola num laboratório. 

Usando o processo de gelificação, “cozinhámos” caviar e esparguete de fruta!!!!
Foi uma sessão deliciosa.

Viagem entre realidades

Uma dolorosa realidade que não podemos ignorar…

Abril foi mais uma vez assinalado como mês da prevenção dos maus-tratos na infância. Respondendo a um apelo do Núcleo Hospitalar de Apoio às Crianças e Jovens em Risco (NHACJR) do HDE, procurámos dinamizar atividades no âmbito desta temática e mais especificamente para a promoção da Parentalidade Positiva, como proposto pelo núcleo.

Lemos com os nossos alunos o livro Uma questão de azul-escuro, da autoria de Margarida Fonseca Santos, e com eles elaborámos um cartaz para expor os nossos alertas.

           

Depois, no dia 8 de maio, participámos com colaboradores de variadas áreas profissionais na formação mandatória específica Violência e maus tratos a crianças e jovens – sensibilização geral, promovida no HDE pelo NHACJR. Esta ação teve, entre outros objetivos, “promover uma cultura de deteção e sinalização de maus tratos e ou situações de perigo na criança”. Como nos transmitiram os oradores, cada um de nós é importante na deteção e prevenção dos maus-tratos, seja a quem for. Ficou marcada na nossa mente a frase final:

Que ninguém fique de fora!

A realidade dos desejos concretizados

Viveram-se momentos de magia, trazidos pelos nossos amigos do Clube de Educação Tecnológica da Escola Básica e Integrada da Bobadela, desta vez a cores e ao vivo, que nos deram a possibilidade de tornar quase reais alguns dos nossos sonhos. Construímos uma “impressora manual” capaz de debitar valiosas notas de euro e extraordinários bilhetes de avião com destino ao mundo encantado de um parque temático fantástico.

Um viagem por momentos mágicos que nos divertiram!

A chegar a bom porto

Com a nossa viagem quase a chegar ao fim, vamos aportando em locais que nos confortam, nos dão vontade de continuar e nos transmitem conhecimento.

A visita dos museus

Museu do Mar

No dia 26 de abril, recebemos a visita de mediadores culturais do Serviço Cultural e Educativo do Bairro dos Museus, mais especificamente do Museu do Mar Rei D. Carlos: Eugénia Alves, Adelaide Palet, Vítor Ortiz e Lurdes Faustino.
Em primeiro lugar, foi dado a conhecer o acervo do museu através de fotografias, assim como realizada uma viagem virtual ao passado da bonita vila piscatória de Cascais.
Em seguida, a apresentação da animação Nem tudo o que vem à rede é peixe, teatro de luz negra, deu-nos a oportunidade de refletir sobre aspetos da biodiversidade, da preservação dos oceanos e das causas que têm levado à extinção de algumas espécies marinhas.

Uma tartaruga e um espadarte com uma garrafa presa no maxilar superior feitos de espuma cor de laranja pousados numa cadeira atrás do tapume.
A tartaruga e o espadarte à espera nos bastidores
Eugénia aponta para a imagem da família do rei D. Luís projetada no quadro interativo e os alunos escutam atentamente.
Eugénia dá informações sobre a família do rei D. Luís
Teatro de luz negra com figuras de peixes feitas em tecido de espuma e pintadas com tinta fluorescente.
O teatro de luz negra
Eugénia mostra o peixe em espuma cor de laranja aos alunos.
Eugénia mostra aos alunos de que são feitas as personagens

Centro Cultural de Cascais (CCC)

No dia 3 de maio, as mediadoras culturais Mariana Pinto e Tânia Furtado, do Serviço Cultural e Educativo dos Bairro dos Museus, ofereceram-nos um ateliê pleno de cor e criatividade.
A sessão Carimbos Artesanais começou com a apresentação do CCC e, a partir da exploração de alguns quadros do pintor Filipe Rocha da Silva, pertencentes à exposição permanente da Coleção da Fundação D. Luís I, exploraram-se os conceitos de Cor e Padrão com recurso a carimbos artesanais.
O resultado culminou numa grande cidade colorida e movimentada.

Os alunos escutam com atenção as mediadoras culturais do Centro Cultural de Cascais.
Apresentação em Power Point do Centro Cultural de Cascais
Uma mãe ajuda o seu filho que se encontra no mobile standing frame a fazer o trabalho com carimbos.
A jogar com as formas e as cores
Uma mãe e um filho em cadeira de rodas sentados numa secretária elaboram o seu trabalho de pintura.
Mãos à obra!
Um carimbo que representa um predio feito com várias camadas de papel eva.
Carimbos artesanais
Um aluno e pos seus pais trabalham em conjunto em folhas de papel aguarela e carimbos artesanais.
Fragmentos da cidade a tomarem cor e vida
A cidade colorida com formas que representam flores, nuvens, folhas, chuva, pessoas...
A cidade concluída

Para informação adicional sobre estas atividades, consulte, por favor, a nossa página de facebook Escola Básica Gracinda Antunes Valido e Projeto TeleAula.

Datas comemorativas

Comemorámos o dia 25 de abril com a leitura de uma adaptação do conto O Tesouro, de Manuel António Pina. Depois de alguns depoimentos sobre esta data histórica e outras explicações, os jovens e crianças presentes, assim como os seus pais, puderam cantar músicas, acompanhadas à guitarra, que celebram a Revolução dos Cravos.

A professora conta sentada a história acompanhada do professor que toca uma guitarra e os alunos escutam com atenção.
A leitura do conto
A professora olha para o  professor que gesticula a explicar algo.
Outros apontamentos sobre a Revolução dos Cravos

Viagens passadas não são apagadas

Viajámos pelo mundo e conhecemos diferentes cidades.
Foi uma bela viagem na companhia da escola do IPO!


Tivemos uma sessão presencial com a Sandra do Pavilhão do Conhecimento.
Explorámos os LittleBits: peças modulares que, consoante a forma como se ligam, permitem elaborar circuitos com luzes, sons e movimentos.

E, usando a imaginação, demos vida aos animais que construímos.


Também experimentámos o Globo Plasma que ativa a luz dos raios com o toque das nossas mãos. 

UAUUUU, que choques levámos!

E, quase no final do 2.º período letivo, a Sandra, do Pavilhão do Conhecimento, desafiou-nos a construir uma máquina de rabiscos.
Começámos por aprender como dar energia à nossa máquina e depois, foi a nossa criatividade que foi posta à prova.
Divertimo-nos muito !!!!


Do Carnaval à Páscoa foi um saltinho de coelho

Temos viajado muito pelas enfermarias, mas ainda tivemos tempo para visitar algumas datas importantes…

Dia Mundial do Rim

No dia 9 de março fomos para o Jardim da Bia participar nas brincadeiras da equipa de palhaços Nariz Vermelho e ouvir com muita atenção as palavras da Dra. Gisela Neto, do serviço de Nefrologia, sobre o comportamento que todos devemos adotar para os nossos rins continuarem saudáveis e a funcionar bem.

 

Para chamar a atenção para este dia, elaborámos com as nossas alunas, Ingrid, Isa Mara e Patrícia, um cartaz que afixámos na porta da nossa escolinha.

Dia do Pai

Para elaborar um miminho para o pai, convidámos as nossas queridas amigas experts em origamis, a educadora Isabel Gomes e a nossa aluna, também poetisa, Margarida, que nos levaram a passear pelo mundo das dobragens.

E foram tantas as dobragens que aprendemos! Eis o resultado:

Dia do conto stand-up

Viajámos nas estórias criadas pela imaginação dos voluntários do Banco de Portugal.
O Pai Natal e um dos seus duendes vieram contar-nos estórias do arco-da-velha.

Foi uma sessão desconcertante e muito divertida!

Dia de colheita

A primavera está mesmo aí em força, prova disso foi a produção obtida no nosso minilatifúndio: ervilhas, batatinhas, e ainda falta o rabanete.

Resta-nos desejar a todos uma Páscoa Feliz, com muitas amêndoas e ovinhos de chocolate.

“Parabéns!” e “Obrigado!” – projetos eTwinning e TeleAula

Temos em mãos projetos que nos dão muito. Tanto que nos enchem a mala, a alma e o coração de alegria, de reflexão, de convívio, enfim… de boas memórias de viagem. Celebrámos um aniversário de vida de uma maneira muito especial, discutimos aspetos da nossa contemporaneidade e convivemos com amigos e parceiros, em presença e a distância.

Projeto eTwinning – “A Birthday Card for R”

A bandeira eTwinning com a aluna e a Diretora de Turma

Por iniciativa da professora diretora de turma da nossa aluna R, temos participado num projeto cujo objetivo simples mas grandioso era apenas desejar Feliz Aniversário! à aluna através do envio por correio postal de um cartão de parabéns.

A aluna junto aos pacotes de mensagens recebidas
O grupo de amigos que estiveram presentes na festa
Pacotes com as três mil mensagens recebidas

Em torno deste objetivo reuniram-se cerca de quinhentos membros, entre professores e alunos, de vinte e dois países europeus, e foram recebidos mais de três milhares de postais.
Este projeto vai muito para além de postais – cartas, fotografias, prendas – e do dia de aniversário, pois desde que a primeira missiva chegou, em meados de outubro, todos os dias são de festa e celebração.
Na plataforma eTwinning, foram-se documentando em segredo os materiais que se enviavam e os que se recebiam. O mais difícil foi manter a surpresa até ao dia do aniversário!

TeleAula – CMRA

Imagens sobre a atualidade que podem suscitar debate

Partindo do nosso Blogue Físico Dá que pensar…, na TeleAula abordámos com as professoras e os alunos de Alcoitão os temas implícitos nas duas imagens que se seguem – Como e onde brincamos.

My parents said I should spend more time outside/ Os meus pais disseram que eu devia passar mais tempo no exterior
No ano de 1996 uma mãe leva o filho, que jogava à bola, por uma orelha para dentro de casa. Em 2016 uma mãe leva o filho, que jogava video-jogos, por uma orelha para fora de casa.
Foi um debate muito vivo e acalorado. Os cotas defendiam a rua, a juventude prefere ficar em casa a jogar.
No final ainda houve tempo para ouvir os nossos amigos de Alcoitão a dizer a palavra Obrigado em diversas línguas, o que foi muito engraçado!

Encontrar o Norte

Parados ou em viagem, convém não “perder o Norte”.
Isto tem especial importância para quem almeja o Pólo Norte ou a Lapónia, em busca do Pai Natal!
Com a colaboração do Clube de Educação Tecnológica da Escola Básica Integrada da Bobadela, construímos as nossas próprias bússolas.
Com materiais simples, aprendemos a distinguir diferentes tipos de íman e metais magnetizáveis, aprendemos a magnetizar a agulha da nossa bússola e revimos os pontos cardeais.
Agradecemos muito ao Clube a preparação dos materiais e as indicações precisas sobre os procedimentos a levar a cabo para chegar a bom “norte”!

*****

A nortada não tem destruído o nosso mini latifúndio, como podem comprovar…

As sementes do CMRAlcoitão prosperam! O Ano Novo promete!

*****
Falando em Ano Novo, e como nos portámos bem este ano, fomos em busca do Pai Natal no Hospital de Santa Maria para nos conceder em desejo o realizar de um sonho que perseguimos há muito…

De lá trouxemos uma rena espacial e especial – o Rudolfo.

Não só somos mimados como sabemos mimar! Oferecemo-NOS um lanche natalício:

Partilhamos convosco a dádiva musical, cheia de espírito natalício, que a Orquestra do Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves nos trouxe e que vos abrirá o apetite para a quadra.

A todos desejamos um Feliz Natal! *****************************

Viagens nesta terra

A equipa do Farol Museu de Santa Marta (Inês Fialho Brandão e Manuela Pereira) ofereceu, durante o mês de novembro, mais duas visitas ao nosso espaço.
A que mais nos marcou foi, sem dúvida, aquela em que pudemos comunicar via Skype com o chefe faroleiro Ramos de Pina do Farol do Cabo da Roca. Com a abordagem da vertente humana dos faróis, ficámos a conhecer os faroleiros e as suas vidas no passado e no presente. Houve um momento que consideramos mágico: quando o sol partiu e o crepúsculo reinava, o farol começou a funcionar com uma luz intermitente e intensa.
Na última semana, visitámos o Farol Museu de Santa Marta onde fomos recebidos pela equipa do museu (Inês Brandão, Manuela Pereira, Lina Lopes e Sónia Sousa), pelos faroleiros Maria Oliveira e Santa Neto e pelo Comandante Coelho Dias da Direção dos Faróis.
As curiosidades que aprendemos foram muitas, como por exemplo, quem inventou os faróis, como é que um farol nunca fica sem luz, o que mais gosta de fazer o chefe faroleiro Ramos de Pina nas suas rotinas diárias, as razões que levaram os faroleiros a escolher uma profissão tão dura e interessante, entre outras.
Aprendemos ainda os nomes e as funções de aparelhos existentes num farol: termómetro, termógrafo, anemómetro e heliógrafo.

Sete alunos escutam e observam Inês Brandão
O quadro interativo apresenta um heliógrafo

Oito  alunos escutam as informações fornecidas pela equipa do Farol Museu de Santa Marta

A imagem do faroleiro Ramos Pina no quadro interativo durante a videoconferência

A equipa do Farol Museu dá explicações a cinco alunos e no quadro interativo o faroleiro Ramos Pina em videoconferência

Manuela do Farol Museu explica a um aluno o funcionamento de um anemómetro
Dois alunos observam o mar nas ameias do Farol Museu de Santa Marta
Dois alunos e uma técnica do Farol Museu observam e conversam sobre o mar
Alunos, professora, educadora conversam no átrio exterior da fortaleza do Farol  Museu
Doutora Inês apresenta a maqueta do farol de Santa Marta e um aluno e dois faroleiros convidados assistem
A faroleira Maria Oliveira conversa com um aluno no exterior do farol Museu

No átrio exterior do farol Museu um aluno  e a professora ouvem as explicações da Dra. Inês

Uma auxiliar e um faroleiro ajudam um aluno em cadeira de rodas a subir uma rampa íngreme

Dentro do Farol Museu, na casa das lâmpadas, alunos, equipa técnica do Museu, os dois faroleiros, professora e restantes acompanhantes conversam

A faroleira Maria responde às perguntas dos alunos

Na sala escurecida a técnica explica o o funcionamento do heliógrafo
O heliógrafo em grande plano

No exterior no crepúsculo o farol de Santa Marta iluminado

Palavras dos alunos:

Gostei de ver o farol à noite, por estar iluminado. Adorei as gaivotas e estar cá fora a ver o mar. Achei muito fixe ouvir os faroleiros e gostei das fardas deles! Gostava de experimentar uma farda daquelas! 
O caminho cá fora tem uma grande descida e uma cadeira de rodas não consegue parar de descer! Mete medo, mas até foi divertido!
Feliz Natal para os faroleiros e um grande abraço para a Inês e Manuela! 
Que bom seria haver uma claraboia na sala das lentes do Farol Museu para podermos ver a luz do farol acesa, visto não termos acesso ao piso superior!
Encontrámos bastantes barreiras arquitetónicas, mas tivemos a sorte de ter a ajuda de quem nos acompanhava, dos faroleiros e da equipa de acolhimento ao visitante do FMSM. 
Gostei de ver as óticas no Farol Museu e de conhecer alguns faróis que desconhecia. Já tinha visto uma reportagem de um faroleiro cabo-verdiano que vivia com a sua família no farol. Mas não sabia que era igual nos outros países. Desconhecia que era uma carreira profissional ligada à Marinha. 
Tive pena de não poder observar o farol mais perto de mim. Gostava de ter subido para o patamar superior… 
Foi notória a ajuda dos faroleiros e da D. Manuela na subida da rampa! 
Um dia, quando for grande, vou ser faroleiro em São Tomé! É bom ser faroleiro para viver junto do mar e poder ir tomar banho! 
A profissão de faroleiro não é fácil! Estar ali fechado sem contacto com o mundo exterior não é mesmo fácil, embora haja mais flexibilidade nos nossos dias devido ao avanço dos meios de comunicação. Mesmo assim, acho que não é qualquer pessoa que tem perfil para esta profissão. Gostei de aprender para que servem e como funcionam os aparelhos do Farol Museu.
Ainda no enquadramento da atividade O museu vai à escola inserida no Plano Anual de Atividades do projeto TeleAula, o Museu de Arte Arquitetura e Tecnologia (MAAT) disponibilizou uma equipa do Serviço de Apoio ao Visitante para realizar um ateliê junto dos alunos internados. Assim sendo, recebemos a visita de Raquel Eleutério, António Banza e Jorge Batista que nos ensinaram a construir um carro movido a energia solar.
Este carro funciona através da direção de uma luz (que substitui a presença da luz solar) sobre um painel foltovoltaico colocado na parte superior.
No final, fizemos uma corrida de carros superdivertida!

Muito obrigado à equipa do MAAT pela simpatia, disponibilidade e profissionalismo. Nós adorámos!

Alunos escutam e apresentam-se à equipa do MAAT

António Banza ajuda um aluno na construção do carro

Jorge Batista ajuda um aluno na construção do carro

Alunos a construir o carro

A corrida dos carros e a chegada à meta de um deles
Estamos, neste momento, a preparar o Natal no Alcoitão: ateliê de postais para enviarmos aos nossos amigos e familiares, decoração do corredor do piso 2 (Pediatria), presépios para oferecer aos vários departamentos.

As mãos de um aluno a elaborar um postal com uma árvore de Natal em pop-up

Um aluno a cortar a cartolina vermelha para fazer o seu postal

As mãos de um aluno a pintar de azul uma caixa de ovos que será o presépio

Um aluno a enfeitar o presépio com estrelas feitas em papel dourado

No próximo mês, mostraremos os trabalhos feitos.
Desejamos a todos um feliz Natal!