Património produzido, património divertido

Basquetebol em TeleAula

Por videoconferência com o Clube de Educação Tecnológica da Escola Básica Integrada da Bobadela, construímos uma tabela de basquetebol.

Alunos em TeleAula

Alunos e professoras constroem tabela de basquete

Alunos em TeleAula

Pormenor de construção da tabela de basquete

Pormenor de construção da tabela de basquete
No final, registou-se em vídeo a alegria dos 3 pontos.
E agora, um desafio ao IPOLFG: Que tal encestarmos ao desafio?

Houve ainda tempo nesta TeleAula para uma atividade bónus: um desafio matemático.


Qual o vosso resultado? A nossa aluna Vera já o resolveu… e bem! Está de parabéns!

Let’s Play Colours para a HOPE

O congresso anual da associação sem fins lucrativos HOPE (Hospital Organisation of Pedagogues in Europe) vai este ano ter lugar na Polónia. Através da plataforma eTwinning recebemos um convite para um projeto que desafia os nossos alunos a prepararem trabalhos para serem expostos no congresso, usando apenas as cores azul, verde e vermelha.
Os trabalhos já seguiram por correio.

O Almada voltou

O serviço de educação da Fundação Calouste Gulbenkian voltou ao nosso convívio e trouxe novamente consigo o convidado José de Almada Negreiros.

À luz do que tinha acontecido na primeira sessão desta oficina, também desta  resultou um um vídeo iluminado.

Agradecemos a todos a colaboração. Sem ela, este património não se constituiria nem seria tão divertido.

Os vários patrimónios

Para comemorar a chegada do novo ano, realizámos uma atividade de boas-vindas através da construção de mandalas com materiais diversificados como erva-príncipe, lentilhas, flores e frutos  secos, alfazema, canela e amêndoas laminadas, entre outros.

Duas secretárias, uma com os materiais dentro de frascos e sacos de papel e a outra com as mãos de uma aluna a trabalhar.

Uma mandala feita com folhas e frutos secos, flores e lentilhas intitulada A Paz no Mundo

Uma secretária com duas mandalas: uma terminada e a outra a ser construída por uma aluna.

Uma mandala intitulada Inspiração feita com erva-príncipe, canela e flores.

Através da  atividade intitulada A Colcha de Retalhos da Condessa, dinamizada pela mediadora cultural, Ana Brás, do Bairro dos Museus, Museu Condes de Castro Guimarães, ficámos a perceber que existem vários tipos de patrimónios (natural, cultural, material, imaterial, móvel e imóvel).

Ouvimos a história da colcha da avó da condessa e as histórias que esta contém (ou continha) até deixarem de ser contadas e se perderem. Conhecemos virtualmente o Museu, as histórias das duas famílias que o habitaram e os seus objetos.

Está em construção uma manta de retalhos com as memórias de todos nós e, ainda, um livro individual do nosso património que está a ser construído em contexto sala de aula. Em breve, mostraremos o trabalho completo.

A sala de aula com uma imagem projetada no quadro interativo e alunos a observarem a mediadora cultural a falar.

A mediadora cultural a contar a história da colcha da condessa e a manta colocada sobre uma secretária ao seu lado.

As mãos de uma aluna a desenhar um coração numa cartolina quadrada.

As mãos de uma aluna a desenhar um emoji sorridente numa cartolina quadrada.

O conjunto dos retalhos feitos pelos alunos sobre a manta de retalhos colorida.

Estivemos com professores e alunos da Escola Básica José Cardoso Pires numa videoconferência subordinada ao tema Segurança na Internet que abordou assuntos pertinentes e atuais sobre as vantagens e desvantagens da internet, assim como os perigos que devemos evitar.

Os alunos observam o monitor do computador onde se encontram os colegas da outra escola a falar.

Para celebrar o aniversário de uma aluna internada, a sua escola de origem esteve também em videoconferência, num encontro que proporcionou a troca de palavras entre quem não se via há muito tempo e o conhecimento dos novos alunos e professores da turma.

A aniversariante fala para os colegas da sua escola e é observada por duas terapeutas e uma colega de hospital.

Queremos mostrar o poema coletivo que dedicámos ao lobo ibérico porque achamos importante que as pessoas olhem para este animal com outros olhos.

O lobo ensina os mais novos
Como os humanos ensinam os seus filhos.
O lobo não é mau
Apenas caça para comer e sobreviver.
Nós, humanos, é que destruímos o seu habitat
e ele não tem onde viver.
Lobo, não deixes de ser quem és!
Não ligues às coisas más
que dizem sobre ti!
Continua a ser selvagem
Bonito
Corajoso
E amigo dos teus companheiros.
Nós, humanos,
Temos muito que aprender contigo!

Pessoas, animais e lugares

Professora Sónia no púlpito do Palco do Centro Cultural de Cascais
A professora Sónia a partilhar experiências

Apresentação do Projeto TeleAula

O projeto TeleAula no Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão esteve presente na apresentação do Programa ENVOLVE-TE para 2017/2018, que decorreu no Centro Cultural de Cascais, com o objetivo de transmitir e partilhar um pouco do que foi a parceria entre a escola de hospital e o Serviço Cultural e Educativo do Bairro dos Museus.

Dia Mundial do Animal

Celebrámos o Dia Mundial do Animal, recordando os animais que, em tempos, caminhavam nas nossas florestas, nadavam nos nossos mares e sulcavam os céus do Planeta Terra. A partir da leitura e interpretação da obra de Arianna Papini, Queridos Extintos, travámos conhecimento com vinte animais que já não existem ou estão em vias de extinção. Desses animais, escolhemos três para desenhar e saber informações detalhadas: o puma-oriental, a foca-monge-das-Caraíbas e o dodó. É urgente intervir para que a lista não continue a aumentar. Seguem algumas opiniões dadas pelos alunos, após a realização deste trabalho.

É importante haver um dia do animal para dizermos a toda a gente que devemos cuidar dos animais.

Tenho pena dos animais que já não existem. Nós devemos ter respeito por todos os animais, porque todos são importantes para o nosso Planeta.

Este é o dia em que se celebram os animais, porque os animais têm sentimentos e sofrem como as pessoas.

Tenho pena deles, porque não gosto de ver animais mortos pelas pessoas. Eles mereciam estar vivos. Se morrerem de velhice é diferente.

Temos que ter cuidado com a sobrevivência dos animais no futuro.

Aluna desenha a foca-monge-das-Caraíbas a partir da ilustração da autora do livro
A desenhar a foca
Dodó feito a carvão e colagem de uma ilustração de André da Loba
Desenho a carvão da Foca-monge-das-Caraíbas desenhada e colagens
Foca-monge-das-Caraíbas
Desenho a carvão do puma-oriental e colagens verdes
Puma-oriental feito a carvão e colagem

Dia da Implantação da República

Conhecer as características e a simbologia da bandeira de Portugal foi a nossa forma de celebrar o Dia da Implantação da República. Inventámos a bandeira do nosso nome com os elementos que nos caracterizam e que representam, por isso, a nossa identidade.

Mesa com bandeira de Portugal e materiais de desenho
A bandeira de Portugal
Desenho de brasão com flores, corações, borboletas e pessoas
A bandeira da Cristiana
Desenho de brasão com árvore, sol, castelo e coração
A bandeira da Sara

Um cheirinho a outono!!!

Árvore em papel

Outono

O equinócio do outono foi um tema abordado com recurso à expressão plástica e à descoberta de curiosidades peculiares.

Um dia com a Rádio Comercial

Alguns dos nossos alunos tiveram a oportunidade de participar na rubrica Eu é que sei da Rádio Comercial.

As respostas às questões “O que fazes com plasticina?” e “Como é que as vassouras das bruxas voam?” foram muito interessantes!!!

Podem ouvir as respostas engraçadíssimas na página do programa Eu é que sei, da Rádio Comercial.

Implantação da República

No âmbito da comemoração da Implantação da República explorámos o texto Proclamação da República do Livro das Datas de Luísa Ducla Soares.

Na sequência, analisámos A Portuguesa, o texto de Henrique Lopes de Mendonça que é o Hino Nacional e a Bandeira Nacional que substituiu a Bandeira da Monarquia Constitucional.

Uma aluna da Guiné Bissau que participou nas atividades desenvolvidas revelou que, na sua escola de origem, os alunos, diariamente, cantam o Hino Nacional da Guiné Bissau e o Hino de Portugal.