Dezembro “em cheio”!

Comunicar através do Som e do Ritmo

Uma vez mais fomos surpreendidos pelos alunos do Clube Tecnológico da EBI da Bobadela com uma atividade muito bem preparada e muito interessante!

Com a aproximação das comemorações do Novo Ano, construímos dois instrumentos musicais – um de percussão e outro de sopro, com recurso a materiais reciclados – que farão com certeza muita falta na noite de passagem de ano.

Alunos do HDE em TeleAula com alunos da Bobadela

Construção de instrumento musical com cápsuals de café

Instrumento musical com cápsuals de café

Construção de instrumento musical pelos alunos da Bobadela

Construção de instrumentos musicais pelos alunos do HDE

Agradecemos muito aos alunos Iasmin, Bery, Beatriz, Bruna e Daniela, bem como aos professores Carlos V., Carlos e Vitor do Clube Tecnológico que orientaram esta atividade. Já estamos a aguardar ansiosamente pela próxima!

Criatividade aos “sacos”

Este período tivemos a visita do Museu da Marioneta que nos trouxe uma mostra de marionetas feitas de diferentes materiais e originárias de diferentes partes do mundo.

Animador do Museu da Marioneta com aluna

Marioneta crocodilo

Marioneta Rodolfo do nariz vermelho feita com caixa de ovos

 

 

 

Marioneta Minion e alunos

 

 

 

 

 

Alunos do HDE com animadores

 

 

 

 

 

Mostraram-nos também que com um simples saco de papel, cartolinas de diversas cores, tesoura, cola e muita criatividade podíamos construir as nossas marionetas e foi isso que fizemos.

Alunos do HDE criam marionetas

Vejam como ficaram engraçadas!

Alunos do HDE com marionetas que criaram

Agradecemos muito ao Pedro e à Marta a sua disponibilidade e terem-nos proporcionado uma manhã tão divertida!

Uma doce e mágica tarde de chuva

Ombela significa chuva em umbundu. Neste conto, representado de forma mágica pelo grupo Kaô: Embalos do Mundo, Ombela é filha de deuses, a quem é atribuído o poder da criação da chuva. É o seu pai que lhe ensina que a tristeza faz parte da vida e que também se pode chorar de felicidade. Então, quando Ombela chora de tristeza, as lágrimas salgadas enchem os oceanos e quando Ombela chora de felicidade, as lágrimas doces enchem os rios e os lagos.

Grupo Kao e alunos do HDE

Com recurso ao movimento, ao som, a diferentes texturas e à música, fomos literalmente transportados para África com todos os seus sons, cheiros, animais, numa mensagem de esperança e felicidade que terminou com a canção:

“Menina a Felicidade
é cheia de Ar
é cheia de Vento
é cheia de Riso
é cheio de Sol (e de Chuva)
Menina a Felicidade
é cheia de A
é cheia de E
é cheia de I
é cheia de O (e de U)”

Grupo Kao e alunos do HDE

Foi uma doce e mágica tarde de chuva que muito agradecemos à Tânia e ao Rodrigo do grupo Kaô: Embalos do Mundo e às nossas parceiras Andreia e Rita do Núcleo Educativo da Fundação Callouste Gulbenkian que os trouxeram até nós!

Grupo Kao e pacientes do HDE

O Espírito de Natal invadiu-nos…

Este Natal, de forma simples e criativa, decorámos a nossa sala de aula e os nossos quartos. Coroas de Natal, presépios, Pais Natal, postais, tudo feito por nós, com materiais muito simples, mas com muito amor e esperança no futuro!

Alunos com decorações de Natal que criaram

Aqui fica uma pequena mostra das nossas decorações de Natal!

Decorações de Natal sobre o ecrã da escola

Pais Natal

Decorações de Natal na porta da escola

E o que mais importa são os afetos…

Para terminar em beleza o final de período e o final de ano, recebemos a visita dos colegas, da Diretora de Turma e de outros professores do Conselho de Turma da nossa aluna Rebeca. E tudo preparado em segredo!

SURPRESA!!!….

Professores e alunos visitam a Rebeca no HDE        Professores e alunos visitam a Rebeca no HDE

 

 

 

Professores e alunos visitam a Rebeca no HDE

Foi uma manhã maravilhosa, de festa, de cumplicidades, mas principalmente de muita alegria e amizade!

Professores e alunos visitam a Rebeca no HDE

Obrigada Educadora Isabel, por teres registado este momento!

Ufa! Chegámos ao fim!

Resta-nos desejar a todos um Excelente Ano de 2019!!! E para continuarmos em festa, aqui fica o som das nossas “vuvuzelas caseiras”!

Tradições, ciência e tecnologia

Nas vésperas de Natal, a Evelina e a Catarina do Pavilhão do Conhecimento propuseram-nos a construção de figuras natalícias. Os nossos criadores construíram uma rena nervosinha e pais natais irrequietos!

Alunos constroem renas e Pais-Natal

Rena e Pais-Natal construídos pelos alunos

Pais-Natal construídos pelos alunos

As professoras e as educadoras  do Departamento de Pediatria do HSM, iniciaram o novo ano cantando as janeiras pelos pisos  e desejando a todos um Bom Ano 2018.

Professoras e educadoras com coroas

Professoras e educadoras cantam as Janeiras

Do Pavilhão do Conhecimento, a Sandra trouxe-nos experiências muito interessantes. Falámos de vácuo, pressão atmosférica e da sua influência sobre alguns materiais. Fizemos também algumas experiências com água que mais pareciam magia…

Experiências científicas com técnica do Pavilhão do Conhecimento

Experiências científicas com técnica do Pavilhão do Conhecimento

Experiências científicas com técnica do Pavilhão do Conhecimento

Experiências científicas com técnica do Pavilhão do Conhecimento

Experiências científicas com técnica do Pavilhão do Conhecimento

Aproveitamos para divulgar as 24.ªs Jornadas de Pediatria, subordinadas ao tema #criança24.0, que decorrerão nos próximos dias 7, 8 e 9 de fevereiro no grande auditório do Edifício Egas Moniz da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

Salientamos o curso Educar com novas tecnologias – crianças especiais, orientado pelo professor Rui Fernandes do CANTIC/CRTIC Amadora e dirigido a todos os profissionais da área da educação, saúde, pais e estudantes.

Poderão consultar o programa no site https://www.jornadaspediatriahsm.pt/

Encontrar o Norte

Parados ou em viagem, convém não “perder o Norte”.
Isto tem especial importância para quem almeja o Pólo Norte ou a Lapónia, em busca do Pai Natal!
Com a colaboração do Clube de Educação Tecnológica da Escola Básica Integrada da Bobadela, construímos as nossas próprias bússolas.
Com materiais simples, aprendemos a distinguir diferentes tipos de íman e metais magnetizáveis, aprendemos a magnetizar a agulha da nossa bússola e revimos os pontos cardeais.
Agradecemos muito ao Clube a preparação dos materiais e as indicações precisas sobre os procedimentos a levar a cabo para chegar a bom “norte”!

*****

A nortada não tem destruído o nosso mini latifúndio, como podem comprovar…

As sementes do CMRAlcoitão prosperam! O Ano Novo promete!

*****
Falando em Ano Novo, e como nos portámos bem este ano, fomos em busca do Pai Natal no Hospital de Santa Maria para nos conceder em desejo o realizar de um sonho que perseguimos há muito…

De lá trouxemos uma rena espacial e especial – o Rudolfo.

Não só somos mimados como sabemos mimar! Oferecemo-NOS um lanche natalício:

Partilhamos convosco a dádiva musical, cheia de espírito natalício, que a Orquestra do Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves nos trouxe e que vos abrirá o apetite para a quadra.

A todos desejamos um Feliz Natal! *****************************

Viagens nesta terra

A equipa do Farol Museu de Santa Marta (Inês Fialho Brandão e Manuela Pereira) ofereceu, durante o mês de novembro, mais duas visitas ao nosso espaço.
A que mais nos marcou foi, sem dúvida, aquela em que pudemos comunicar via Skype com o chefe faroleiro Ramos de Pina do Farol do Cabo da Roca. Com a abordagem da vertente humana dos faróis, ficámos a conhecer os faroleiros e as suas vidas no passado e no presente. Houve um momento que consideramos mágico: quando o sol partiu e o crepúsculo reinava, o farol começou a funcionar com uma luz intermitente e intensa.
Na última semana, visitámos o Farol Museu de Santa Marta onde fomos recebidos pela equipa do museu (Inês Brandão, Manuela Pereira, Lina Lopes e Sónia Sousa), pelos faroleiros Maria Oliveira e Santa Neto e pelo Comandante Coelho Dias da Direção dos Faróis.
As curiosidades que aprendemos foram muitas, como por exemplo, quem inventou os faróis, como é que um farol nunca fica sem luz, o que mais gosta de fazer o chefe faroleiro Ramos de Pina nas suas rotinas diárias, as razões que levaram os faroleiros a escolher uma profissão tão dura e interessante, entre outras.
Aprendemos ainda os nomes e as funções de aparelhos existentes num farol: termómetro, termógrafo, anemómetro e heliógrafo.

Sete alunos escutam e observam Inês Brandão
O quadro interativo apresenta um heliógrafo

Oito  alunos escutam as informações fornecidas pela equipa do Farol Museu de Santa Marta

A imagem do faroleiro Ramos Pina no quadro interativo durante a videoconferência

A equipa do Farol Museu dá explicações a cinco alunos e no quadro interativo o faroleiro Ramos Pina em videoconferência

Manuela do Farol Museu explica a um aluno o funcionamento de um anemómetro
Dois alunos observam o mar nas ameias do Farol Museu de Santa Marta
Dois alunos e uma técnica do Farol Museu observam e conversam sobre o mar
Alunos, professora, educadora conversam no átrio exterior da fortaleza do Farol  Museu
Doutora Inês apresenta a maqueta do farol de Santa Marta e um aluno e dois faroleiros convidados assistem
A faroleira Maria Oliveira conversa com um aluno no exterior do farol Museu

No átrio exterior do farol Museu um aluno  e a professora ouvem as explicações da Dra. Inês

Uma auxiliar e um faroleiro ajudam um aluno em cadeira de rodas a subir uma rampa íngreme

Dentro do Farol Museu, na casa das lâmpadas, alunos, equipa técnica do Museu, os dois faroleiros, professora e restantes acompanhantes conversam

A faroleira Maria responde às perguntas dos alunos

Na sala escurecida a técnica explica o o funcionamento do heliógrafo
O heliógrafo em grande plano

No exterior no crepúsculo o farol de Santa Marta iluminado

Palavras dos alunos:

Gostei de ver o farol à noite, por estar iluminado. Adorei as gaivotas e estar cá fora a ver o mar. Achei muito fixe ouvir os faroleiros e gostei das fardas deles! Gostava de experimentar uma farda daquelas! 
O caminho cá fora tem uma grande descida e uma cadeira de rodas não consegue parar de descer! Mete medo, mas até foi divertido!
Feliz Natal para os faroleiros e um grande abraço para a Inês e Manuela! 
Que bom seria haver uma claraboia na sala das lentes do Farol Museu para podermos ver a luz do farol acesa, visto não termos acesso ao piso superior!
Encontrámos bastantes barreiras arquitetónicas, mas tivemos a sorte de ter a ajuda de quem nos acompanhava, dos faroleiros e da equipa de acolhimento ao visitante do FMSM. 
Gostei de ver as óticas no Farol Museu e de conhecer alguns faróis que desconhecia. Já tinha visto uma reportagem de um faroleiro cabo-verdiano que vivia com a sua família no farol. Mas não sabia que era igual nos outros países. Desconhecia que era uma carreira profissional ligada à Marinha. 
Tive pena de não poder observar o farol mais perto de mim. Gostava de ter subido para o patamar superior… 
Foi notória a ajuda dos faroleiros e da D. Manuela na subida da rampa! 
Um dia, quando for grande, vou ser faroleiro em São Tomé! É bom ser faroleiro para viver junto do mar e poder ir tomar banho! 
A profissão de faroleiro não é fácil! Estar ali fechado sem contacto com o mundo exterior não é mesmo fácil, embora haja mais flexibilidade nos nossos dias devido ao avanço dos meios de comunicação. Mesmo assim, acho que não é qualquer pessoa que tem perfil para esta profissão. Gostei de aprender para que servem e como funcionam os aparelhos do Farol Museu.
Ainda no enquadramento da atividade O museu vai à escola inserida no Plano Anual de Atividades do projeto TeleAula, o Museu de Arte Arquitetura e Tecnologia (MAAT) disponibilizou uma equipa do Serviço de Apoio ao Visitante para realizar um ateliê junto dos alunos internados. Assim sendo, recebemos a visita de Raquel Eleutério, António Banza e Jorge Batista que nos ensinaram a construir um carro movido a energia solar.
Este carro funciona através da direção de uma luz (que substitui a presença da luz solar) sobre um painel foltovoltaico colocado na parte superior.
No final, fizemos uma corrida de carros superdivertida!

Muito obrigado à equipa do MAAT pela simpatia, disponibilidade e profissionalismo. Nós adorámos!

Alunos escutam e apresentam-se à equipa do MAAT

António Banza ajuda um aluno na construção do carro

Jorge Batista ajuda um aluno na construção do carro

Alunos a construir o carro

A corrida dos carros e a chegada à meta de um deles
Estamos, neste momento, a preparar o Natal no Alcoitão: ateliê de postais para enviarmos aos nossos amigos e familiares, decoração do corredor do piso 2 (Pediatria), presépios para oferecer aos vários departamentos.

As mãos de um aluno a elaborar um postal com uma árvore de Natal em pop-up

Um aluno a cortar a cartolina vermelha para fazer o seu postal

As mãos de um aluno a pintar de azul uma caixa de ovos que será o presépio

Um aluno a enfeitar o presépio com estrelas feitas em papel dourado

No próximo mês, mostraremos os trabalhos feitos.
Desejamos a todos um feliz Natal! 

O espírito Natalício…

Teleaula

No âmbito do Projeto Teleaula, os alunos do IPOLFG dramatizaram a história do Livro “A girafa que comia estrelas” de José Eduardo Agualusa.

No final da Teleaula os alunos preencheram os guiões de leitura que foram enviados para as suas escolas de origem. Os alunos do HSM obtiveram pontuação máxima!! Estão de parabéns!

Natal

A partir do céu estrelado….iniciamos a época natalícia!!
Este ano, o presépio ficou bem original…

O Presépio

Este ano, no Hospital de Santa Maria, as Educadoras pediram a colaboração dos profissionais da Pediatria para a construção do Presépio.
A nossa Escola contribuiu com a capoeira. 




Podem ver como a criatividade coletiva resulta.





Aproveitamos para desejar um bom ano 2014 para todos!

Boas festas

Na nossa escola do CMRA, andaram projetos de presépios que elaborámos com cartolinas antigas, imagens e purpurinas. Fizemos um presépio grande tridimensional, uma árvore de Natal com cartões que estavam destinados a ir para o lixo, estrelas e fitas de várias cores. A nossa sala está bonita. Oferecemos a cada departamento do Serviço de Pediatria um presépio pequeno com uma mensagem de boas festas. 

Aos nossos amigos do Hospital Dona Estefânia, além de um presépio, oferecemos várias sementes para a sua horta que colocámos em sacos pequenos e enviámos pelos CTT.

No último dia de aulas, acabámos os trabalhos / fichas / testes para podermos ser avaliados pelos professores das nossas escolas de origem.
Do que mais gostámos? Das quadras populares dedicadas ao Menino Jesus que pesquisámos na internet. Estas quadras foram escritas tal e qual o povo pronunciava as palavras na oralidade, por exemplo, “mê” = meu, “rezão” = razão, “fizeram-le” = fizeram-lhe, “boleta” = bolota, “Jasus” = Jesus. Foi muito divertido ler em voz alta estas quadras tão bonitas.
Qualquer filho de homem pobre
Nasce num céu de cortinas.
Só tu, Menino Jesus,
Nasceste numas palhinhas.

O Menino chora, chora,
Chora com muita rezão:
Fizeram-le a cama curta,
‘Tá c’os pézinhos no chão.

Esta noite, à meia-noite,
Ouvi cantar ao Divino;             
Era a Virgem Maria
Que embalava o seu Menino


Cantai, anjos, ao Menino,
Que a senhora logo vem:
Foi lavá-los cueirinhos
À ribeira de Belém. 

Ó Menino Jasus,
Quem vos pudera valer,         
Com sopinhas da panela
Sem a vossa Mãe saber!  

Ó Menino Jasus,
Quem te deu essa boleta
Foi a minha avó Sant’Ana
Qu’a tinha lá na gaveta. 

Desejamos a todos um santo Natal!

Alunos e professores do Alcoitão