Comunicar em Segurança

Uma ilustre visita

No passado dia 31 de janeiro tivemos a honra de receber no nosso Hospital e na Sala de Apoio do 2º/3º Ciclo e Secundário a Primeira Dama da República da Bulgária que nos quis conhecer e quis conhecer o nosso projeto.

Depois de ouvir atentamente a apresentação do trabalho realizado, elogiou a iniciativa e despediu-se agradecendo de forma muito gentil, aos alunos e professoras, a receção.

Primeira Dama da República da Bulgária com professora Dulce na escolinha

Projeto Líderes Digitais – SeguraNet

No âmbito do projeto Lideres Digitais -SeguraNet, assinalámos no dia 5 de fevereiro o Dia da Internet Mais Segura, com várias iniciativas:

Colocámos um cartaz na porta da nossa sala, assinalando este dia . A decoração da porta tem tido sucesso quer entre os  jovens, quer entre adultos. Várias vezes encontrámos uns e outros comentando a informação afixada sobre esta temática da Segurança na Net.

A porta da escolinha com cartazes sobre segurança na internet A porta da escolinha com cartazes sobre segurança na internet

Realizámos uma videoconferência com a escola do Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão. Esta ligação proporcionou  o reencontrar de  antigos  amigos, visualizar pequenos vídeos e  jogar de forma amigável e construtiva, testando conhecimentos sobre os cuidados a ter sempre que navegamos na Internet, nomeadamente descobrindo como nos devemos defender de predadores, do cyberbullying, das fake news, de como devemos  proteger os nosso dados e de não cairmos na ciberdependência, entre outros.

Videoconferência sobre o dia da Internet Mais Segura 2019 Videoconferência sobre o dia da Internet Mais Segura 2019

Ainda nessa semana, os nossos lideres digitais Lourenço, Lee e Manuel realizaram duas sessões aqui no  Hospital Dona Estefânia , onde voltaram a abordar os temas mencionados anteriormente. Uma sessão foi para os colegas da Sala de Apoio do 2º/3º Ciclo e Secundário, que não puderam estar presentes no dia da videoconferência, e outra para os colegas do 1º ciclo, na respetiva sala. Nestas sessões participaram ainda alguns Encarregados de Educação e as professoras do 1ºciclo.

Líderes Digitais e alunos a assistir Líderes Digitais e alunos e pais a assistirLíderes Digitais e alunos a assistirLíderes Digitais e alunos a assistir

 

 

 

 

Os nossos lideres conseguiram brilhantemente cativar ambas as plateias e fazer a delícia de todos, ajudando a construir um “quantos queres” que focava a utilização segura e responsável da internet.

Criação de um Quantos Queres pelos alunos

Estão de Parabéns os nossos  Lideres Digitais!

Dia Europeu do 112

Sabiam que este dia é assinalado no dia 11-2 (112)?

Boneco que fala da importância de usar o 112 quando precisamos

Os agentes Vasconcelos e Fabiana da 1ª Divisão  da PSP de Lisboa  estiveram connosco numa ação de sensibilização para a importância do número 112 e para a correta utilização do mesmo.

Polícias falam do 112

 

 

 

 

Polícias falam do 112

Não esqueçam…

Slide que diz que devemos ligar 112 para chamar ambulância, polícia ou bombeiros quando precisamos

Projeto Museu visita o Hospital – MNAA

Recebemos a visita da Rita Gonçalves do Museu Nacional de Arte Antiga, que nos trouxe o Prontos para a Festa.

Slide com pintura de um banquete medieval

Com ela, viajámos ao longo do tempo, desde as festas nos castelos até às festas nos palácios. Percorremos, através da observação de pinturas, algumas com mais de 600 anos, aspetos como a moda, a alimentação e objetos da vida diária, entre outros.

Alunos na apresentação

Alunos e animadora na apresentação

Os protagonistas principais foram o sal e os diferentes e majestosos saleiros e, num período posterior, o açúcar transportado na forma de pão de açúcar e os igualmente majestosos açucareiros.

As bebidas que não podiam faltar num banquete de pessoas ricas e abastadas eram o chá, o chocolate e o café.

Observámos imagens do serviço de mesa real em prata, com mais de 300 objetos, encomendado pelo rei D. João V e que está no nosso MNAA. Dele fazem parte três objetos muito importantes que queremos aqui destacar: uma chaleira, uma chocolateira e uma cafeteira.

Depois dos banquetes, a mesa era enfeitada com figurinhas de dançarinos em ouro que indicavam aos convidados que após o banquete seguir-se-ia o baile.

Quatro figurinhas de ouro

Agradecemos à Rita ter-nos proporcionado esta viagem de costumes ao longo do tempo!

Festa das Línguas – La Chandeleur e Valentine’s Day

Pois é, aproveitámos o assinalar destes dois dias numa grande Festa das Línguas.

Comida e corações e flores de papel

Comemorámos no dia 14 de fevereiro, em simultâneo, La Chandeleur, que se comemora no dia 2 de fevereiro e o St. Valentine’s Day, que se comemora no dia 14 de fevereiro, e fizemos “um dois em um”!

Alunos e professoras com mesa posta

Os nossos alunos fizeram os crepes, seguindo uma receita em francês e receberam mensagens de amor em inglês.

Alunos a cozinhar

Alunos a cozinhar

Professora serve a doçaria

Comemorámos o amor com uma fonte de chocolate que fez a delícia de todos!

Fonte de chocolate com morangos e ananás

Mas o mais importante da nossa festa foi o convívio e o sentimento de partilha vivido por todos!

São servidos?!!!

O museu vai ao hospital e outras viagens

O museu no hospital

Terminámos o ano de 2016 com a apresentação de um concerto de música clássica e iniciámos o ano de 2017 com uma atividade também relacionada com a música – Familiofones. Estas atividades foram oferecidas pelo Museu da Música Portuguesa, Bairro dos Museus, inseridas no projeto O museu vai ao hospital, tendo feito as delícias de quem assistiu e participou.
Concertos comentados decorreu no refeitório do Serviço de Pediatri do CMRA com a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras conduzida pelo Maestro Nikolai Lalov e teve como principal objetivo aproximar a música clássica e os instrumentos musicais das crianças, jovens e adultos.
Familiofones esteve a cargo da mediadora cultural do Serviço Cultural e Educativo do Bairro dos Museus, Margarida Antunes, que apresentou uma maleta pedagógica com réplicas de instrumentos musicais que foram manuseados e tocados pelos alunos e encarregados de educação.


Deixamos as nossas opiniões acerca desta atividade:

Estávamos muito curiosos para saber o que se encontrava dentro da caixa que tinha a forma de um acordeão grande.

A Margarida chegou à escola de Alcoitão e mostrou o que estava dentro da caixa: uma viola, uma guitarra portuguesa, um reco-reco, uma ocarina, flautas e um cavaquinho.

Do que eu mais gostei foi do reco-reco e da história da princesa de Aljustrel.

A Margarida foi simpática e teve paciência para nos aturar, porque nós pedíamos os instrumentos musicais todos.

Gostámos de conhecer os instrumentos musicais  e de tocar neles. Queremos que a Margarida volte outra vez ao Alcoitão.

Gostei de tocar com a flauta que se toca com uma mão só.

Eu gostei da Margarida, porque é simpática e trouxe os instrumentos para nós tocarmos.

Para informação adicional sobre estas atividades promovidas pelo Bairro dos Museus, consulte a nossa página de facebook Escola Básica Gracinda Antunes Valido e Projeto TeleAula.

Outras viagens

Entretanto para incentivar o gosto pela leitura e para celebrar o Dia Internacional do Obrigado, 11 de janeiro, desenvolvemos atividades durante uma semana relacionadas com o tema. Criámos a árvore do obrigado que se encontra em frente ao jornal de parede, aprendemos a dizer “obrigado” em várias Línguas, identificámos a forma e a bandeira desses países, visionámos dois filmes que falavam sobre a gratidão e o respeito que devemos ter uns pelos outros e pelo mundo que nos rodeia e ainda escutámos a leitura do conto Obrigado a todos! de Isabel Minhós e Bernardo Carvalho.

Para informação  pormenorizada sobre este livro, consulte a página da editora Planeta Tangerina.
Árvore do obrigado

Árvore do obrigado e os cartões com vários países colados no jornal de parede

Mão de aluno a colocar um coração de papel cor de laranja com o seguinte agradecimento: estar vivo

Cartões com a representação de vários países espalhados em cima de uma mesa e o livro "Obrigado a todos!"

Cinco alunos visionam um filme na sala de aula do Alcoitão
Elaborámos um vídeo sobre este tema que pode visionar no nosso canal do You Tube.
Realizámos uma videoconferência com as professoras e os colegas do Hospital de Dona Estefânia onde abordámos um tema extremamente interessante e atual: como e onde brincamos. Infelizmente, não conseguimos mostrar nenhuma fotografia, mas que foi uma hora bem passada, lá isso foi!

Uma viagem de paz até ao Japão

Para celebrar a Paz no Mundo, viajámos até ao Japão. 
Celebramos a Paz todos os dias, porque sem ela não poderíamos ter escola.
Pesquisámos biografias de pessoas que ficaram célebres porque lutaram e lutam pela Paz, como, por exemplo, Martin Luther King, Tenzin Gyatzo (14º Dalai-Lama), Madre Teresa de Calcutá, Nelson Mandela, Malala Yousafzai, entre outros.
Escrevemos palavras de Paz e sobre a Paz.

A Paz é amarela como o sol.
É um cão a brincar.
É o meu irmão a saltar.
A Paz sabe a bolo de chocolate.
A Paz cheira a relva acabada de cortar.

António 

A Paz é como uma flor,
Por causa do seu esplendor.
A Paz é branca como uma pomba.
Como o amor é uma boa onda.
A Paz é alegre.
É como ficar sem febre.

Guilherme 

A paz é o mar
que ilumina tudo
a paz é uma
pomba a voar
A paz é uma rosa
que é o amor
A paz é liberdade
A paz é mais do que tudo na vida
A paz é crianças a sorrir
Como uma tela
e uma flor
que está sempre a amar
A paz é ir à escola
e aprender
e estar com
os amigos e professores.
Mafalda

A professora Sónia contou-nos a lenda japonesa dos mil tsurus e recebemos a visita da professora Anabela que nos ensinou a construir tsurus em origami.
O tsuru é um pássaro parecido com uma cegonha ou garça, o grou japonês. Além de ser uma ave linda, está em vias de extinção o que nos deixou tristes. No Japão, esta ave faz-se em origami, a técnica japonesa da dobragem de papel, para oferecer às pessoas e desejar mil felicidades, saúde e muitos anos de vida. No entanto, esta tradição tem como base uma história fantástica que fala de um pescador ou camponês que, um dia, salvou um grou da morte. Quando a ave ficou de boa saúde, o homem soltou-a. Passados dias ou meses, apareceu a este homem, uma linda rapariga que lhe ofereceu um tecido valioso e raro. O camponês era ganancioso e vendeu o tecido para ficar rico. Sem vergonha nem piedade, voltou a pedir outro à rapariga que lhe concedeu de novo o desejo. E isto repetiu-se algumas vezes. Por fim, o camponês, achando estranho o comportamento da rapariga que estava cada vez mais abatida, seguiu-a e viu o tsuru que um dia tinha salvo a tecer o tecido com as suas próprias penas. A ave ainda conseguiu transformar-se em mulher e oferecer o tecido, mas morreu logo de seguida. O camponês, arrependido da sua ganância, viveu o resto da sua vida a construir tsurus em origami e a oferecê-los às pessoas.

A nossa primeira videoconferência foi elaborada com os colegas internados no Hospital de Dona Estefânia e as professoras Clara e Dulce. Falámos da nossa vida, da escola, da Paz e do que vamos fazer da próxima vez que comunicarmos.

Estamos a trabalhar o tema da Alimentação Saudável que, na próxima publicação, irá ser abordado com mais atividades. Deixamos um registo fotográfico de uma aula com a professora Alexandra sobre regras para ter uma alimentação saudável.

Ter TeleAula e contar como foi

O Clube de Educação Tecnológica da EBI da Bobadela propôs em mais uma TeleAula uma atividade de engenho, saber e arte!
Contamos que a TeleAula seja um veículo de troca de saberes e partilha de experiências. Apreciamos o tempo e os materiais em que os nossos parceiros investiram. Aprendemos muito com a sua generosidade e criatividade. Contamos com a sua sábia orientação e com a nossa capacidade de improviso.
Desta vez construímos um carrinho movido a eletricidade e comandado por magnetismo.

A apresentação dos intervenientes

Enquanto noutro espaço da sala decorria uma atividade diferente
O início da construção
Diferentes fases do processo
Atenção…
…na execução.
Alunos e professores trocando impressões

Fica o curto vídeo de demonstração do funcionamento do engenho:
Esperamos que tenham gostado tanto de ver como nós gostámos da experiência deste desafio!

Do S. Martinho ao Natal: uma viagem de faz de conta…

O verão de S. Martinho

O S. Martinho permitiu-nos um cheirinho de gastronomia, que nós tanto gostamos… Mas antes foi necessário preparar a baixela… e depois, claro, dar significado ao momento!

Viajando no mundo das TeleAulas

No dia 18 de novembro, iniciámos a nossa viagem deste ano com a EBI da Bobadela. E como sempre muito original…
Os nossos alunos tiveram oportunidade de simular a respiração humana. Deixamos umas fotos para verem como foi….

Com os alunos da Escola do HSM fizemos de conta que éramos matemáticos e jogamos o jogo Acerta no 100. Apesar das peripécias e dos truques nós perdemos, mas divertimos-nos muito.
Nos desafios matemáticos tivemos mais sorte… e conseguimos descobrir algumas soluções.

Viagens perigosas, personagens controversas

Seguimos em busca do velo de ouro com Jasão e os argonautas. Conhecemos os perigos dos mares e os feitiços de Medeia. Conhecemos os heróis navegadores e os seus talentos
Discutiu-se a relação de Jasão e Medeia. Coitada da Medeia! disseram alguns alunos. Mas muitos argumentos se levantaram! Personagem controversa…

Em época natalícia!

Aqui ficam alguns mimos de Natal…

TeleAula no HDE – Clube de Educação Tecnológica da EBI da Bobadela

Uma grande surpresa! Bombástica!

Os nossos Amigos do Clube Tecnológico da Bobadela estão sempre a surpreender-nos com trabalhos magníficos, desta vez não foi diferente! Estivemos animados do princípio ao fim da atividade. Fica aqui o registo de alguns desses momentos vividos!
Organizámos a nossa mesa de trabalho

Recebemos indicações sobre os procedimentos mais corretos
Seguimos atentamente as indicações

O trabalho exige rigor 

Finalmente duas das nossas bombas parecem concluídas…

Por indicação dos nossos parceiros colocámos água corada dentro das nossas bombas de água e ligámos o circuito….Ups! alguma coisa correu mal…fizemos um lago vermelho na nossa mesa de trabalho! A água parece sair por onde não devia…TEMOS FUGA NO SISTEMA!! Toca a limpar tudo!

Bomba a precisar de reparação

Mesmo assim valeu a pena a aula foi mesmo muito divertida! Quanto a nós…prometemos melhorar as nossas imperfeições técnicas!!
***

Umas semanas depois…

***

Uma parceria que encurta a distância!

Como a generosidade do Clube de Educação Tecnológica da EBI da Bobadela é tão evidente e digna de apreço, os alunos devidamente acompanhados e autorizados vieram à sala de trabalho do Núcleo de Apoio Escolar ao 2º/3º CEB e ES do HDE demonstrar e ensinar-nos o tanto que já aprenderam nesta área. Assim, pudemos voltar a agradecer a sua dedicação.

Algum do material usado na sessão

Nesta sessão, muito rica, voltámos à bomba de água, vimos como a luz se comporta em meios diferentes como a água e o ar, ficámos com algumas noções como funciona a fibra ótica, vimos uma série de transformações energéticas até à produção de luz,  vimos como produzir movimento aproveitando o efeito de um campo eletromagnético, vimos ainda o efeito de uma luz lazer incidindo sobre um determinado ponto…enfim vimos muito e aprendemos ainda mais!

Uma bomba de água primorosa
No escurinho para ver bem o laser

A energia em transformação
O magnetismo e a eletricidade em ação!


Importantes explicações científicas
Pela ciência …encheram-se muitos balões!

Hoje tivemos uma tarde muito animada e estimulante.

Aos alunos e professores do CLUBE TECNOLÓGICO da EBI da Bobadela  um MUITO OBRIGADA pelo empenho, interesse e dedicação que têm demonstrado ao longo destes anos.

O meu coração tem muitas cores

Abrimos as portas dos nossos corações, à semelhança da protagonista da história do livro No meu coração pequenino, de Jo Witek e Christine Roussey. Um livro para todas as idades que fala dos sentimentos e das emoções de uma menina que acha que o seu coração “é um tesouro que muda de cor consoante o seu humor”.
Após e durante a leitura trocámos impressões e saberes, como por exemplo: o que são as lágrimas de crocodilo? Sim, todos sabem que esta frase se refere a um choro fingido, mas como surgiu e porquê? Os crocodilos engolem a sua presa sem mastigar e, para que o possam fazer, abrem a mandíbula de tal forma que ela comprime a glândula lacrimal. Em consequência, um mecanismo semelhante ao nosso produz lágrimas. Parece que choram com piedade da sua presa, mas trata-se de uma reação física a um estímulo.

Fizemos um jogo para adivinhar sentimentos com os corações que desenhámos.

O aluno mais velho esteve a estudar os idiomatismos, na disciplina de Português. Quer ser professor, então, nada melhor do que começar a treinar a sua futura profissão. Esteve a explicar aos mais pequenos, aos pais, às mães e às educadoras o significado de “expressões com o coração dentro”. Seguem algumas frases:

Cair o coração aos pés – Não estar à espera que algo aconteça.
Do coração – De boa vontade.
Falar com o coração nas mãos – Falar com sinceridade.
Fazer das tripas coração – Esforçar-se ao máximo.
Ler no coração – Perceber os sentimentos das outras pessoas.
Não ter coração – Ser mau.
Ter pelos no coração – Ter maus instintos.
Ser um coração lavado – Ser uma pessoa com bons sentimentos. Ser um bom amigo.
Ter o coração na boca – Ficar aflito.

Entretanto, sem que ninguém previsse, apareceram na sala da escola dois atores famosos da telenovela portuguesa Jardins proibidos: Vítor Silva Costa (Alfonso Herédia) e Renato Godinho (inspetor Nuno). Conversámos, tirámos fotografias, partilhámos emoções e sentimentos.

Depois, metemos mãos à obra e escrevemos os sentimentos que moram no nosso coração.
Fico feliz, quando vejo… os meus amigos; ajudarem os outros; a minha mãe e o meu pai; a minha mãe feliz; a minha família. Quando oiço… a minha mãe; palavras bonitas; elogios; música; o mar. Quando como… chocolates, carne, bacalhau à Brás; batatas fritas; de tudo. Quando sinto… que estou quase a ir embora; amor no coração; amizade; coisas boas. Quando… vejo a minha avó feliz; tenho amigos; vou de fim de semana a casa; estou com as pessoas de quem gosto; vejo a minha mãe sorrir. Quando os meus amigos… vão a minha casa; me respeitam; gostam de mim; me apoiam; me tratam bem. 
Fico triste, quando vejo… injustiças; maltratarem os outros; as pessoas de quem mais gosto morrerem; que a minha mãe não está perto de mim; injustiças; os meus pais a discutir. Quando oiço… palavras duras e feias; asneiras; a ralharem comigo; barulhos atrás de mim; discriminação racial; coisas más. Quando como… sopa; bacalhau; espinafres verdes; cebola muito picante; peixe. Quando sinto… dor; raiva; infelicidade; falta de amizade; que sou posto de parte; a minha cabeça a ouvir vozes. Quando…estou sozinha; acordo de manhã com os pés de fora; não tenho os meus pais perto de mim; não vou de fim de semana a casa; não me respeitam; me chateio com os meus amigos. Quando os meus amigos… não me vêm ver; não ligam ao que lhes digo; não vão a minha casa; me pregam sustos; dizem coisas sobre mim que me magoam.
Um amigo especial, muito colorido, que nos acompanhou durante toda a tarde.
Em seguida, dissemos algumas palavras doces e outras amargas como, por exemplo: bonito, amizade, beijo, sol, melhor amiga, mel, simpático, filho, sorriso, amor, mãe, mar, irmão, animais, mau, solidão, agressividade, falsidade, castigo, birras, escuro, desistir, chatices, rancor, estúpido, racismo, feio, ansiedade. Descubram quais as doces e quais as amargas.
Este trabalho foi partilhado com os nossos amigos do Hospital Dona Estefânia, durante uma sessão de videoconferência. As professoras do HDE fizeram-nos um jogo sobre as emoções e as expressões.

Deixamos duas opiniões sobre a sessão: “Adorei esta aula!” e “Foi uma aula gira! Onde é que arranjaram as fotografias do jogo?”.

17º Encontro TeleAula – Momentos

Não espanta ninguém dizer que as crianças doentes correm riscos de exclusão social e escolar que devem ser evitados a todo o custo. Espantoso é conseguir criar os desafios certos que levam as crianças internadas a procurar a escola do hospital e a lembrarem-na com especial carinho mesmo depois de deixarem o internamento.
Na semana passada mostrámos excertos das apresentações em que cada escola tentava mostrar os ingredientes de que é feita esta relação pedagógica complexa.
Hoje, partilhamos outros momentos do 17º Encontro TeleAula – mais do que um registo escorreito deste dia de trabalho e convívio, quisémos deixar fragmentos que apelam à nossa memória até que, com retemperadas forças, voltemos para construir um novo ano e um novo futuro.
Boas Férias a todos e um merecido descanso.

17º Encontro TeleAula

No dia 10 de Julho decorreu mais uma reunião anual da rede de escolas de hospital do projeto TeleAula (Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão, Hospital de Dona Estefânia, Hospital de Santa Maria e Instituto Português de Oncologia). Para além das professoras dos hospitais, contámos com a presença de professores de duas escolas de referência – a EB 2, 3 de Alcabideche (professora Isabel) e a EBI da Bobadela (professores Carlos, Renato e Victor).
Todos os anos, reunimos para partilhar o trabalho desenvolvido ao longo do ano e falar sobre as dificuldades sentidas e as vitórias alcançadas. Com base nas aprendizagens realizadas e partindo de um tema comum, definimos as ideias que conduzirão à planificação de atividades do novo ano lectivo.
Neste 17º Encontro, definimos como tema condutor do ano “Ideias com Luz” que tem por referência a proclamação pelas Nações Unidas do ano 2015 como o Ano Internacional da Luz e das Tecnologias Baseadas na Luz.
Assim, desde a exploração científica da luz – passando por histórias relacionadas com a luz e por atividades concretas como a proposta de um dia na escola sem luz e a promoção de energias alternativas – às possíveis parcerias com entidades culturais e empresariais, surgiram ideias que vão ocupar os alunos das escolas de hospital em actividades criativas de elevado valor pedagógico. Além disso, as magníficas propostas das escolas de referência, as tarefas enviadas pelas escolas de origem dos alunos e as parcerias de anos anteriores com museus prometem dias muito animados nas escolas de hospital.
Basta juntar dois novos grandes projectos (um interno e um europeu), para ter a certeza de que 2014-2015 vai ser um ano extraordinário de dedicação, desafio, partilha e muitas novidades!
Deixamos excertos das apresentações de cada escola de hospital.




[Notícia publicada também no blogue do CANTIC onde pode visualizar um vídeo com alguns momentos do 17º Encontro].

Ninhos e biscoitos

O Miguel a pintar o telhado do ninho
O telhado do ninho artificial

Depois de pintarmos o telhado da casa de pássaros, elaborámos um anúncio para arrendamento do espaço.


Arrenda-se
Ninho espaçoso, com uma janela, vista para o mar e para um belo jardim, próprio para um casal de pássaros pequenos como pardais, andorinhas, estorninhos, pintarroxos ou pintassilgos.
Comida gratuita incluída.
Renda: 300 trinados ou chilreios por mês.

ARRENDA-SE

Entretanto, fizemos uns biscoitos para os futuros moradores deste espaço.
Esta é a receita que ficou com bom aspeto.

Biscoitos para pássaros

Ingredientes

  • 1 jarro ou taça para misturar
  • Gelatina sem sabor
  • Meio copo de água
  • 1 chávena com sementes para pássaros
  • 1 garfo
  • Formas (ou cortadores) de biscoitos
  • Óleo vegetal
  • Espeto de madeira
  • Fita ou laço

Modo de preparação

  1. Faça a gelatina de acordo com as instruções da embalagem. Para esta receita necessita de meio copo. Deixe assentar até começar a solidificar. Depois adicione as sementes para pássaros à gelatina. Misture tudo muito bem com um garfo até as sementes ficarem bem cobertas.
  2. Unte as formas, ou cortadores de biscoitos com um pouco de óleo. De seguida coloque a mistura de gelatina e sementes dentro das formas. Leve-os ao frigorífico durante uma ou duas horas.
  3. Desenforme, cuidadosamente, as sementes com gelatina e deixe a secar completamente no prato. Este processo demora geralmente dois dias, à temperatura ambiente.
  4. Assim que os seus comedouros estiverem secos, faça um pequeno buraco no meio de cada um com um espeto para depois passar uma fita.
 

As formas e a massa dos biscoitos
Os biscoitos / comedouros feitos

Dicas

Ao pendurar o comedouro, certifique-se que este fica pendurado numa zona abrigada da chuva, para evitar que a gelatina se dissolva. Se preferir fazer um comedouro à prova de água, substitua a gelatina por banha. Para isso deverá derreter a banha e deitá-la por cima das sementes, e depois colocar tudo em formas de bolos pequenos e deixar assentar.

Bolinhos de limão

As estagiárias Carolina e Soraia do Serviço Educativo organizaram o ateliê “Biscoitos para o lanche” no espaço da escola a pensar que os nossos colegas do PCA1 pudessem participar através da videoconferência. Infelizmente, eles tinham exame e não puderam assistir.
Aprendemos a fazer deliciosos biscoitos de limão para nós e para a família. Também fornecemos esta receita e avisamos que não devem deixar muito tempo no forno, porque ficam um pouco rijos, mas se os molharem no leite ou no chá são bons na mesma.

Ingredientes

  • 500 g de farinha
  • 250 g de açúcar
  • 150 g de manteiga
  • Raspa de 1 limão
  • 3 ovos

Preparação

  1. Coloque a farinha dentro de uma tigela larga e faça um buraco no meio e deite os ingredientes. Amasse tudo muito bem até a massa se descolar da tigela e das mãos. Em seguida, estique a massa e corte biscoitos pequenos com várias formas.
  2. Aqueça previamente o forno a 180º e leve os biscoitos ao forno.
Partir os ovos
Verter os ovos para a tigela
A massa deve ser colocada em cima de papel vegetal
Biscoitos humanos que podem ser mergulhados em chocolate derretido