Viver o património com os oceanos, robots, azulejos e muito mais

Na escola do HSM recebemos a visita do nosso amigo oceanógrafo Francisco Silva que nos trouxe o mar ao nosso hospital. Falámos de mares, marés, correntes, ondas e ficámos a perceber melhor o fenómeno das ondas gigantes da Nazaré.

Oceanógrafo Francisco Silva fala aos alunos

Oceanógrafo Francisco Silva mostra imagem do relevo marinho aos alunos

Tivemos mais uma tarde bem passada na companhia do professor Paulo Torcato que nos trouxe os Mbots: programámo-los para andar, desviar de obstáculos, desenhar um quadrado e o número dois. Não foi fácil mas um desafio é sempre benvindo!

Professor Paulo Torcato fala sobre Mbots Mbots em funcionamento

Também tivemos a visita do Museu do Azulejo e percebemos um pouco do trabalho que está por trás dos painéis de azulejos do nosso património. Cada um de nós pintou um que entretanto ainda foi para o museu para cozer a 1000º num forno mágico. Foi uma tarde diferente e espetacular!

Pintura de azulejos com professoras, alunos e educadoras Pintura de azulejos com professoras, alunos e educadoras Pintura de azulejos com professoras, alunos e educadoras Azulejos pintados pelos alunos

Com a Sandra do Pavilhão do Conhecimento fizemos uma videoconferência em que, além de outras experiências, explorámos várias propriedades da água. Mas a estrela da tarde foi a película de sabão!!!!

Videoconferência com a Sandra do Pavilhão do Conhecimento e dispositivo para fazer películas de sabão Dispositivo para fazer películas de sabão Exploração de dispositivo para fazer películas de sabão Exploração de dispositivo para fazer películas de sabão

Numa sessão presencial, trouxe-nos um grande desafio com LED e circuitos e fizemos postais pop-up bastante iluminados!

Sandra do Pavilhão do Conhecimento mostra a construção de postais com LED Criação de um postal com sapo, moscas e LED Postal com um morcego e um LED Postal com um sapo e uma mosca com LED aceso

Como o ano letivo está quase a terminar, deixamos uma quadra para vos animar.

Cartão com circuito integrado em forma de manjerico e a quadra: Do Pavilhão do Conhecimento/Vem a Sandra nos ensinar/E para acabar este ano/Com os LEDs vamos celebrar

Novas vivências

O Mar no Hospital

Fotografia geral do decorrer do evento

O mar faz parte do nosso património e veio ao Hospital Dona Estefânia trazido pelo amigo oceanógrafo Francisco Silva.

Fotografia da simulação das ondas com um secador de cabelo

Com ele ficámos a saber como se formam as ondas, o que é o Canhão da Nazaré e como este está na origem da formação da enorme onda surfada pelo famoso McNamara. Aproveitámos ainda o momento para saber mais sobre a formação e profissão de um oceanógrafo.

Fotografia geral dos intervenientes presentes na sala

Muito obrigada, Francisco!

Namban-Jin

Imagem do biombo representativo da chegada da embarcação portuguesa à costa japonesa

Imagem representativa do biombo que ilustra a chegada dos portugueses ao Japão

A partir das imagens de um par de biombos, exlorámos pormenores representativos da forma como a chegada dos portugueses foi vista à época, no Japão. Estes hábeis mercadores e marinheiros, chamados “Bárbaros do Sul”/”Namban-Jin”, e o seu exotismo deixaram marcas na cultura japonesa.  Há 500 anos, os  Portugueses chegaram ao Japão. Daí resultaram trocas culturais e comerciais que enriqueceram Oriente e Ocidente. Nas naus, levávamos novidades de outros povos em troca de, sobretudo, prata.

Viajámos até às longínquas paragens do Oriente -Japão – a partir de imagens e objetos trazidos pela Rita Gonçalves do Museu Nacional de Arte Antiga.

Fotografia que mostra objetos representativos da cultura japonesa

Vimos também imagens e objetos do Japão atual e de como o tradicional convive com o moderno.

No final vestimos quatro personagens portugueses retratados nos biombos: o capitão-mor, o missionário, o mercador e o marinheiro.

Fotografia geral da sala durante a realização da atividade

Imagem do Capitão-Mor tal como retratado nos biombosImagem do Mercador tal como retratado nos biombos

Imagem do Missionário tal como retratado nos biombos

Imagem do Marinheiro tal como retratado nos biombos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vivenciámos  parte da riqueza do nosso património museológico através da exploração destas  enormes e belas peças atribuídas ao pintor Kano Domi (séc. XVI), as quais podem sempre ser apreciadas no museu. Por isso, agradecemos à Rita.