Explorando o património!

À descoberta da nossa herança grega

Os gregos deixaram-nos muita história e muitas histórias… Os nossos alunos puderam descobrir  os caprichos e  as extraordinárias capacidades dos deuses e heróis gregos. Ao mesmo tempo, também aprenderam as fragilidades de todos, sem deixar passar o famoso calcanhar de Aquiles.

As peripécias da Guerra de Tróia encantaram os mais novos.

Alunos à volta da mesa com imagens dos deuses e heróis gregosActividade de colagem com deuses e heróis gregos Folha com imagens dos deuses e heróis gregos

Descobrindo os mistérios da calçada portuguesa

Os nossos alunos com os alunos do Hospital de Santa Maria, no âmbito do Projeto Teleaula, exploraram várias figuras planas: triângulos, quadrados, hexágonos, pentágonos,  retângulos… e descobriram os segredos da pavimentação, inclusive, a pavimentação da calçada portuguesa.

Uma teleaula muito divertida e interessante!!!

Alunos calceteiros realizam actividade com formas geométricas Foto com formas geométricas no computador Alunos calceteiros realizam actividade com formas geométricas Actividade com formas geométricas

Uma visita especial ao Museu do Azulejo

Existem muitas formas de se visitar um museu. Foi com muita alegria que os nossos alunos receberam a equipa do Serviço Educativo do Museu do Azulejo.

Nesta primeira visita, tivemos a oportunidade de explorar o barro com diferentes técnicas e cada criança pode construir um presépio para levar consigo.

Esta atividade aguçou-nos a curiosidade para as próximas visitas!!

Presépio de barro Presépio de barro Presépio de barro Presépio de barro Presépio de barro

E chegou a época natalícia!!!!

Presépio de feltro Boneco de gengibre Postal com árvore de Natal

Árvore de Natal 

Pormenor de árvore de Natal - estrela

Partilhar, preservar e descobrir

Para lembrar a lenda de S. Martinho, as educadoras e as professoras do Departamento de Pediatria do HSM fizeram a sua dramatização por todos os serviços e deixaram um pequeno desafio para não esquecerem esta lenda.


Com o Pavilhão do Conhecimento, tivemos uma aula sobre centro de massa. A Sandra proporcionou-nos várias experiências onde explorámos os centros de massa de vários objetos. No final levámos connosco tucanos equilibristas 🙂

A Sandra e a Rita, também do Pavilhão do Conhecimento, trouxeram-nos minhocas. Pudemos pegar nelas, observá-las em pormenor e aprendemos imensas curiosidades… Imaginem que podem ter até 15 corações e que, apesar de terem cabeça, não têm olhos mas têm células fotossensíveis por todo o corpo! Também aprendemos a distinguir minhocas de lagartas!

A escola do HSM fez a sua primeira TeleAula do presente ano letivo com a escola do IPO. Explorámos vários tipos de pavimentações: com polígonos e com figuras da natureza, tal como o Escher fez. Foi um grande desafio!
Falámos também de pavimentos nossos conhecidos, da calçada portuguesa e ficámos a conhecer a arte dos nossos mestres calceteiros 🙂

Ainda dinamizámos na sala polivalente uma nova atividade com alunos e os monitores José e Ana do CAF S. Vicente.
Fizemos um jogo de apresentação com balões. Escrevemos os nossos nomes, desenhámos um colega, registámos o nosso ídolo e o nosso prato favorito e ainda partilhámos os nossos medos. No final rebentámos os balões. Pum, pum, pum… foi uma festa!

Oficina, visita e prémio, todos compõem o nosso património pedagógico

 Oficina de Origami

Fotografia do decorrer da atividade

O Halloween, tradição anglo-saxónica com origens no povo Celta, foi a temática da oficina dinamizada pelas Educadoras de Infância do HDE, Isabel, Gina e Cristina. Entre dobras e dobragens, fizemos aparecer morcegos e abóboras, guiados pelas indicações da experiente Educadora Isabel.

Foi uma manhã muito divertida!

Fotografia de apresentação dos trabalhos realizados

Matar Saudades

Fotografia dos cumprimentos dos colegas que passam no corredor

Desde julho que não nos víamos, e ainda não conhecíamos os novos colegas e professores da turma. Agora, no 3º CEB, visitámos a escola da aluna R. Na EBI Patrício Prazeres, assistimos às aulas de História e de Geografia, almoçámos juntos e convivemos um bom bocado.

Fotografia da turma na sala de aula

Fotografia de grupo à mesa do almoço

Depois da ansiedade pela chegada do dia, a alegria de estar na escola!

Fotografia do encontro com um grupo de colegas no corredor

Visita Inesperada

Fotografia da aluna, da professora e do Galo de Barcelos

A propósito da entrega do Prémio Nacional eTwinning na categoria Inclusão, e do respetivo Selo de Qualidade, ao projeto A birthday card for Rebeca, de que já demos conta aqui, recebemos a visita emocionada de uma das professoras participantes no projeto, a professora Cláudia.

Fomos muito mimados!

Fotografia do prémio

Para a cerimónia de entrega dos prémios foram convidadas a professora Ana Madalena, fundadora do projeto, e duas das parceiras, as professoras Cláudia e Marisa.

Fotografia do Selo Europeu de Qualidade eTwinning 2017

Azulejos, Fernando Pessoa e alimentos saudáveis

Visitámos o Museu Nacional do Azulejo, em Xabregas, e fomos presenteados com uma visita guiada pelos vários espaços do edifício que celebra esta maravilhosa arte tradicional portuguesa. No dia seguinte, relembrámos o que vimos e ouvimos e fizemos um trabalho de expressão artística sobre a exposição de Haru Ishii, uma artista japonesa que vive em Quioto, Das sombras de Quioto à luz de Lisboa.

Alunos em cadeiras de rodas e em pé com a gui do museu observam o painel de azulejos da cidade de Lisboa
A visita guiada no MNAz
Várias tiras verticais com peixes de cores e motivos diferentes alinhados em arte de azulejo.
Uma das obras de Haru Ishii
Mãos dos alunos a tirar as medidas sobre papel de cartolina.
O trabalho dos alunos
Dois alunos em cadeira de rodas e a guia do Museu a falar sobre as obras de Haru Ishii.
A visita guiada à exposição “Das sombras de Quioto à luz de Lisboa”
Cinco trabalhos em papel que imitam o trabaho do azulejo com várias cores e formas.
O trabalho final dos alunos

Celebrámos o mês da alimentação, com trabalhos alusivos ao tema: elaboração da roda dos alimentos, aulas sobre alimentação saudável e uma sessão de degustação de frutos saudáveis de Portugal e não só. O fruto eleito como mais saboroso foi o maracujá.

Em cima da secretária e sobre um pano de cozinha encontram-se uma romã, bolotas, castanhas ainda dentro dos ouriços, castanha venenosa, mirtilos e maracujás.
Uma mesa bem servida

Recebemos a visita das mediadoras culturais da Casa Fernando Pessoa que nos falaram sobre Almada Negreiros, grande amigo do poeta. A atividade chamava-se Descalçar botas d’elástico e fazer uma revista modernista. A verdade é que não fomos mesmo nada botas de elástico e conseguimos fazer pequenas revistas modernistas cheias de criatividade e imaginação.

Um grupo de alunos dispostos em mesa redonda a escutar a mediadora cultural e a observar uma revista de Almada Negreiros.
A aprender quem foi Almada Negreiros
Uma aluna corta uma tira de papel dobrada como um harmónio com a ajuda de uma das mediadoras culturais.
A fazer uma revista modernista
Cinco das nossas revistas modernistas: O prédio, Sou a lua, A Clarinha, BlaBla e uma sem título.
Algumas das nossas revistas modernistas

Ainda tivemos tempo para aprender os continentes e os oceanos.

Um mapa mundo e um globo terrestre dividido ao meio em cima de uma secretária.
Digam lá, por favor, quantos são os continentes?

Explorando o fundo do mar!

Projeto “O Mar no Hospital”

Este ano, com a ajuda das madrinhas do Hospital de Santa Maria, iniciámos um novo projeto na Escola do Serviço de Pediatria, o projeto O Mar no Hospital, com  o oceanógrafo Dr. Francisco Silva.

Foi com muito gosto que os nossos alunos receberam este projeto que pretende explorar o fundo do mar de uma forma dinâmica e divertida!

Na primeira sessão percebemos como surgem as ondas e explorámos em pormenor as tão famosas ondas da Nazaré!

Com muita admiração, os nossos alunos aperceberam-se que no fundo do mar da Nazaré existe um canhão!!

Halloween

Para a noite do famoso doçura ou travessura, os meninos e as meninas internados no Serviço de Pediatria enfeitaram os sacos para angariarem os desejados doces!

Foi um doçura ou travessura muito doce!!

Programação, experimentação e preservação!

Já recomeçámos as atividades do Robot Ajuda! O professor Paulo Torcato trouxe-nos uma novidade: um pequeno robot DOC que não para de interagir connosco. Temos que o programar para que ele possa responder aos vários desafios que nos são colocados.

 

 A partir do Pavilhão do Conhecimento, a Sandra deu-nos uma aula de densidades e tensão superficial. Foi uma aula bem divertida em que pusemos alguns sólidos e vários líquidos à prova. Graças às diferentes características da água e do óleo construímos ainda um lavalamp bem colorido.

A Sandra também nos visitou e levou-nos a fazer uma viagem pelo Oceano Global. Percebemos a pouca quantidade de água que temos disponível para beber, fizemos uma pescaria sustentável (mais do que a quantidade, o que importa é o tamanho!), limpámos uma praia e observámos na lupa um creme exfoliante onde encontrámos plásticos. Com as escolhas certas, todos podemos ajudar a preservar a água do nosso planeta!

Novas vivências

O Mar no Hospital

Fotografia geral do decorrer do evento

O mar faz parte do nosso património e veio ao Hospital Dona Estefânia trazido pelo amigo oceanógrafo Francisco Silva.

Fotografia da simulação das ondas com um secador de cabelo

Com ele ficámos a saber como se formam as ondas, o que é o Canhão da Nazaré e como este está na origem da formação da enorme onda surfada pelo famoso McNamara. Aproveitámos ainda o momento para saber mais sobre a formação e profissão de um oceanógrafo.

Fotografia geral dos intervenientes presentes na sala

Muito obrigada, Francisco!

Namban-Jin

Imagem do biombo representativo da chegada da embarcação portuguesa à costa japonesa

Imagem representativa do biombo que ilustra a chegada dos portugueses ao Japão

A partir das imagens de um par de biombos, exlorámos pormenores representativos da forma como a chegada dos portugueses foi vista à época, no Japão. Estes hábeis mercadores e marinheiros, chamados “Bárbaros do Sul”/”Namban-Jin”, e o seu exotismo deixaram marcas na cultura japonesa.  Há 500 anos, os  Portugueses chegaram ao Japão. Daí resultaram trocas culturais e comerciais que enriqueceram Oriente e Ocidente. Nas naus, levávamos novidades de outros povos em troca de, sobretudo, prata.

Viajámos até às longínquas paragens do Oriente -Japão – a partir de imagens e objetos trazidos pela Rita Gonçalves do Museu Nacional de Arte Antiga.

Fotografia que mostra objetos representativos da cultura japonesa

Vimos também imagens e objetos do Japão atual e de como o tradicional convive com o moderno.

No final vestimos quatro personagens portugueses retratados nos biombos: o capitão-mor, o missionário, o mercador e o marinheiro.

Fotografia geral da sala durante a realização da atividade

Imagem do Capitão-Mor tal como retratado nos biombosImagem do Mercador tal como retratado nos biombos

Imagem do Missionário tal como retratado nos biombos

Imagem do Marinheiro tal como retratado nos biombos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vivenciámos  parte da riqueza do nosso património museológico através da exploração destas  enormes e belas peças atribuídas ao pintor Kano Domi (séc. XVI), as quais podem sempre ser apreciadas no museu. Por isso, agradecemos à Rita.

 

Pessoas, animais e lugares

Professora Sónia no púlpito do Palco do Centro Cultural de Cascais
A professora Sónia a partilhar experiências

Apresentação do Projeto TeleAula

O projeto TeleAula no Centro de Medicina de Reabilitação de Alcoitão esteve presente na apresentação do Programa ENVOLVE-TE para 2017/2018, que decorreu no Centro Cultural de Cascais, com o objetivo de transmitir e partilhar um pouco do que foi a parceria entre a escola de hospital e o Serviço Cultural e Educativo do Bairro dos Museus.

Dia Mundial do Animal

Celebrámos o Dia Mundial do Animal, recordando os animais que, em tempos, caminhavam nas nossas florestas, nadavam nos nossos mares e sulcavam os céus do Planeta Terra. A partir da leitura e interpretação da obra de Arianna Papini, Queridos Extintos, travámos conhecimento com vinte animais que já não existem ou estão em vias de extinção. Desses animais, escolhemos três para desenhar e saber informações detalhadas: o puma-oriental, a foca-monge-das-Caraíbas e o dodó. É urgente intervir para que a lista não continue a aumentar. Seguem algumas opiniões dadas pelos alunos, após a realização deste trabalho.

É importante haver um dia do animal para dizermos a toda a gente que devemos cuidar dos animais.

Tenho pena dos animais que já não existem. Nós devemos ter respeito por todos os animais, porque todos são importantes para o nosso Planeta.

Este é o dia em que se celebram os animais, porque os animais têm sentimentos e sofrem como as pessoas.

Tenho pena deles, porque não gosto de ver animais mortos pelas pessoas. Eles mereciam estar vivos. Se morrerem de velhice é diferente.

Temos que ter cuidado com a sobrevivência dos animais no futuro.

Aluna desenha a foca-monge-das-Caraíbas a partir da ilustração da autora do livro
A desenhar a foca
Dodó feito a carvão e colagem de uma ilustração de André da Loba
Desenho a carvão da Foca-monge-das-Caraíbas desenhada e colagens
Foca-monge-das-Caraíbas
Desenho a carvão do puma-oriental e colagens verdes
Puma-oriental feito a carvão e colagem

Dia da Implantação da República

Conhecer as características e a simbologia da bandeira de Portugal foi a nossa forma de celebrar o Dia da Implantação da República. Inventámos a bandeira do nosso nome com os elementos que nos caracterizam e que representam, por isso, a nossa identidade.

Mesa com bandeira de Portugal e materiais de desenho
A bandeira de Portugal
Desenho de brasão com flores, corações, borboletas e pessoas
A bandeira da Cristiana
Desenho de brasão com árvore, sol, castelo e coração
A bandeira da Sara

Um cheirinho a outono!!!

Árvore em papel

Outono

O equinócio do outono foi um tema abordado com recurso à expressão plástica e à descoberta de curiosidades peculiares.

Um dia com a Rádio Comercial

Alguns dos nossos alunos tiveram a oportunidade de participar na rubrica Eu é que sei da Rádio Comercial.

As respostas às questões “O que fazes com plasticina?” e “Como é que as vassouras das bruxas voam?” foram muito interessantes!!!

Podem ouvir as respostas engraçadíssimas na página do programa Eu é que sei, da Rádio Comercial.

Implantação da República

No âmbito da comemoração da Implantação da República explorámos o texto Proclamação da República do Livro das Datas de Luísa Ducla Soares.

Na sequência, analisámos A Portuguesa, o texto de Henrique Lopes de Mendonça que é o Hino Nacional e a Bandeira Nacional que substituiu a Bandeira da Monarquia Constitucional.

Uma aluna da Guiné Bissau que participou nas atividades desenvolvidas revelou que, na sua escola de origem, os alunos, diariamente, cantam o Hino Nacional da Guiné Bissau e o Hino de Portugal.

Descobrir os minós… máquinas e mecanismos

Com recurso a materiais manipuláveis, descobrimos combinações possíveis para a formação de dominós, triminós, tetraminós e pentaminós.

Reproduzimos figuras com os pentaminós e com os blocos tridimensionais do tangraminó.

Não foi fácil, mas gostámos do desafio!

Também começámos as nossas sessões com o Pavilhão do Conhecimento e recebemos a visita da Evelina e da Sílvia. Descobrimos que existem máquinas e mecanismos de todas as espécies e feitios cuja função é tornar o trabalho mais fácil. Falámos das máquinas mais simples, como a alavanca, até mecanismos como as engrenagens e as cremalheiras.

Mas bom mesmo foi pôr as máquinas em ação!