Famílias e famílias

Entre o património natural e o património artístico nacionais, ficámos a conhecer melhor duas famílias especiais e, através delas, as características da subespécie Canis lupus signatus e os aspetos curiosos da pintura a óleo Retrato de Família do 1º Visconde de Santarém.

Em defesa do Signatus

Recebemos uma ação de divulgação do Centro de Recuperação do Lobo Ibérico em que nos foi dada oportunidade de desmistificar muitas das histórias que se contam sobre os lobos. A mascote Signatus veio ajudar-nos a perspetivar melhor as explicações recebidas.

A Drª Isabel Ambrósio e a mascote Signatus falam sobre os lobos

Ouvimos uma versão cientificamente atualizada da história do Capuchinho Vermelho, bem como outras informações pertinentes, e também aproveitámos para colocar as nossas próprias questões.Aluno trabalha sobre a informação aprendida a respeito dos lobos

Adorámos saber como os lobos comunicam entre si e a riqueza dos diversos sinais que usam para fazê-lo. Em família de lobos há ralhetes como nas famílias humanas!

A Drª Isabel Ambrósio lê aos meninos e à mascote Signatus uma versão do Capuchinho Vermelho

Muito obrigada à Drª Isabel Ambrósio e à mascote Signatus por nos terem dado a conhecer uma renovada visão do lobo ibérico e da necessidade de o proteger e de não o perseguir.

À descoberta de um retrato

Em 1816 não se falava em fotografia, não se falava em selfies nem em photoshop. Mandar fazer um retrato não estava ao alcance de qualquer um e pintá-lo era uma obra de planeamento, minúcia e astúcia artísticas, como tivemos oportunidade de aprender com a visita da Marta do Museu Nacional de Arte Antiga e o fantástico jogo das diferenças que nos trouxe.

Marta apresenta o quadro de Domingos Sequeira

O pintor Domingos Sequeira demonstrou a sua mestria na pintura Retrato de Família do 1º Visconde de Santarém.

À maneira de um fotógrafo ou de um designer gráfico dos nossos dias, também o pintor procurou corresponder às melhores expectativas do seu cliente de forma a dar a imagem de grandeza e importância que se pretendia deixar para a posteridade, trabalhando a perspectiva, a luz e cada elemento para essa valorização.

O quadro de Domingos Sequeira

O resultado apresenta-se quase como um instantâneo da vida real, com o movimento das crianças, a desarrumação dos papéis, o inusitado…

E se um retrato de família não fosse só um retrato de família?

Marta apresenta o quadro de Domingos Sequeira, colocando aos alunos a questão: E se um retrato de família não fosse só um retrato de família?

Com este mote lançado explorámos a pintura e, em equipas, procurámos desvendar os pormenores que a compõem e que, de outro modo, poderiam passar-nos despercebidos.

Foi entre a mascote/lobo Signatus e o pintor Domingos Sequeira, entre lobos e nobres, com duas famílias muito diferentes que aprendemos mais sobre o nosso património e lhes tirámos o retrato…

Os vários patrimónios

Para comemorar a chegada do novo ano, realizámos uma atividade de boas-vindas através da construção de mandalas com materiais diversificados como erva-príncipe, lentilhas, flores e frutos  secos, alfazema, canela e amêndoas laminadas, entre outros.

Duas secretárias, uma com os materiais dentro de frascos e sacos de papel e a outra com as mãos de uma aluna a trabalhar.

Uma mandala feita com folhas e frutos secos, flores e lentilhas intitulada A Paz no Mundo

Uma secretária com duas mandalas: uma terminada e a outra a ser construída por uma aluna.

Uma mandala intitulada Inspiração feita com erva-príncipe, canela e flores.

Através da  atividade intitulada A Colcha de Retalhos da Condessa, dinamizada pela mediadora cultural, Ana Brás, do Bairro dos Museus, Museu Condes de Castro Guimarães, ficámos a perceber que existem vários tipos de patrimónios (natural, cultural, material, imaterial, móvel e imóvel).

Ouvimos a história da colcha da avó da condessa e as histórias que esta contém (ou continha) até deixarem de ser contadas e se perderem. Conhecemos virtualmente o Museu, as histórias das duas famílias que o habitaram e os seus objetos.

Está em construção uma manta de retalhos com as memórias de todos nós e, ainda, um livro individual do nosso património que está a ser construído em contexto sala de aula. Em breve, mostraremos o trabalho completo.

A sala de aula com uma imagem projetada no quadro interativo e alunos a observarem a mediadora cultural a falar.

A mediadora cultural a contar a história da colcha da condessa e a manta colocada sobre uma secretária ao seu lado.

As mãos de uma aluna a desenhar um coração numa cartolina quadrada.

As mãos de uma aluna a desenhar um emoji sorridente numa cartolina quadrada.

O conjunto dos retalhos feitos pelos alunos sobre a manta de retalhos colorida.

Estivemos com professores e alunos da Escola Básica José Cardoso Pires numa videoconferência subordinada ao tema Segurança na Internet que abordou assuntos pertinentes e atuais sobre as vantagens e desvantagens da internet, assim como os perigos que devemos evitar.

Os alunos observam o monitor do computador onde se encontram os colegas da outra escola a falar.

Para celebrar o aniversário de uma aluna internada, a sua escola de origem esteve também em videoconferência, num encontro que proporcionou a troca de palavras entre quem não se via há muito tempo e o conhecimento dos novos alunos e professores da turma.

A aniversariante fala para os colegas da sua escola e é observada por duas terapeutas e uma colega de hospital.

Queremos mostrar o poema coletivo que dedicámos ao lobo ibérico porque achamos importante que as pessoas olhem para este animal com outros olhos.

O lobo ensina os mais novos
Como os humanos ensinam os seus filhos.
O lobo não é mau
Apenas caça para comer e sobreviver.
Nós, humanos, é que destruímos o seu habitat
e ele não tem onde viver.
Lobo, não deixes de ser quem és!
Não ligues às coisas más
que dizem sobre ti!
Continua a ser selvagem
Bonito
Corajoso
E amigo dos teus companheiros.
Nós, humanos,
Temos muito que aprender contigo!

As nossas mais recentes viagens!

VIAJANDO COM OS REIS MAGOS

Para comemorar o Dia de Reis, os nossos alunos construíram coroas e exploraram as tradições que existem em Portugal relacionadas com esta festividade.

Alunos criam coroas

Uma coroa já completa

VIAJANDO COM ULISSES!

Capa do livro Ulisses de Maria Alberta Menéres

No âmbito da parceria estabelecida com a Faculdade de Letras, os nossos alunos descobriram as aventuras de Ulisses, com a ajuda do livro de Maria Alberta Menéres.

Ulisses, conhecido pela sua valentia e inteligência, casado com Penépole e pai de Telémaco, era rei da ilha de Ítaca.

Um dia, apesar de contrariado, teve de embarcar para Tróia porque o Príncipe troiano Páris, ao raptar a rainha grega de nome Helena, provocou uma guerra entre os troianos e os gregos.

Esta guerra durou cerca de dez anos e Ulisses, que sentia muitas saudades do seu reino, teve uma brilhante ideia. Mandou construir um cavalo de madeira onde ele e alguns soldados se esconderam e, assim, conseguiram entrar dentro das muralhas de Tróia e resgatar a rainha Helena.

No regresso a casa, Ulisses deparou-se com muitas peripécias:  o confronto com um ciclope muito violento, a transformação dos marinheiros em porcos, o canto das sereias e o perigo em que se encontrava o seu reino.

Apesar de tantos contratempos, Ulisses conseguiu recuperar o seu reino e família.

Tradições, ciência e tecnologia

Nas vésperas de Natal, a Evelina e a Catarina do Pavilhão do Conhecimento propuseram-nos a construção de figuras natalícias. Os nossos criadores construíram uma rena nervosinha e pais natais irrequietos!

Alunos constroem renas e Pais-Natal

Rena e Pais-Natal construídos pelos alunos

Pais-Natal construídos pelos alunos

As professoras e as educadoras  do Departamento de Pediatria do HSM, iniciaram o novo ano cantando as janeiras pelos pisos  e desejando a todos um Bom Ano 2018.

Professoras e educadoras com coroas

Professoras e educadoras cantam as Janeiras

Do Pavilhão do Conhecimento, a Sandra trouxe-nos experiências muito interessantes. Falámos de vácuo, pressão atmosférica e da sua influência sobre alguns materiais. Fizemos também algumas experiências com água que mais pareciam magia…

Experiências científicas com técnica do Pavilhão do Conhecimento

Experiências científicas com técnica do Pavilhão do Conhecimento

Experiências científicas com técnica do Pavilhão do Conhecimento

Experiências científicas com técnica do Pavilhão do Conhecimento

Experiências científicas com técnica do Pavilhão do Conhecimento

Aproveitamos para divulgar as 24.ªs Jornadas de Pediatria, subordinadas ao tema #criança24.0, que decorrerão nos próximos dias 7, 8 e 9 de fevereiro no grande auditório do Edifício Egas Moniz da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

Salientamos o curso Educar com novas tecnologias – crianças especiais, orientado pelo professor Rui Fernandes do CANTIC/CRTIC Amadora e dirigido a todos os profissionais da área da educação, saúde, pais e estudantes.

Poderão consultar o programa no site https://www.jornadaspediatriahsm.pt/

Bosch, rela e quatro pancadas natalícias

Pintura de Hieronymus Bosch

Pintura As tentações de Santo Antão, de Hieronymus Bosch, no ecrã interactivo

Continuamos a explorar o património artístico do Museu Nacional de Arte Antiga. Desta vez, pasmámos perante o inusitado da mensagem visual do painel Tentações de Santo Antão.

A Irina explica o significado da pintura de Hieronymus Bosch

Trazido pela amiga Irina, tivemos o privilégio de poder admirar e decifrar  uma obra tão famosa do pintor holandês Hieronymus Bosch. Este painel, com cerca de 500 anos, atrai visitantes de todo o mundo. Retrata um mundo imaginário com uma mensagem que significaria que o mundo pode estar ao contrário mas a esperança estará sempre presente.

Foi maravilhoso poder também admirar alguns dos personagens desta composição saltarem para a nossa mesa.A Irina explica o significado de um pormenor da pintura de Hieronymus BoschQuatro criaturas em 3D da pintura As Tentações de Santo Antão

Obrigada, Irina, por nos teres ajudado a descodificar a mensagem!

Alunos manipulam as criaturas em 3D da pintura As Tentações de Santo Antão

Rela em TeleAula

Alunos montam uma rela seguindo as indicações dadas pelos colegas a distância

Mais uma vez, os nossos colegas do Clube Tecnológico da EBI da Bobadela brindaram-nos com vários kits de madeira que conseguimos montar graças às suas preciosas indicações.

No quadro interativo, alunos da Bobadela mostram como se monta uma rela

Surpresa das surpresas, o resultado final foi um brinquedo popular de percussão, a rela.

Alunos brincam com as relas que montaram

Foi uma sessão barulhenta, mas muito divertida.

Natal às quatro pancadas

As tradições associadas à época natalícia manifestaram-se de diversas formas:

  • Assistimos ao filme “Polar Express”, no escurinho do cinema escolarAlunos assistem ao filme Polar Express
  • Participámos nas estórias divertidas que o Nuno e o Pedro (voluntários do Banco de Portugal) vieram contar

    Sessão de contadores de histórias

  • Recebemos a turma Artes do Espetáculo, do 12º ano,  da Escola Secundária D. Pedro V, que veio representar a peça Natal às Três Pancadas, da autoria de Ângela Ferreira, adaptada e encenada pelo professor Gonçalo Costa Sessão de teatro de Natal Sessão de teatro de Natal
  • E, pelo meio, houve quem se dedicasse a elaborar alguns enfeites de Natal

Enfeites de Natal em massa de modelar

Enfeites de Natal em papel

Ao som da rela [registo sonoro seguinte], dizemos adeus ao ano velho e brindamos ao ano novo!

FELIZ ANO NOVO PARA TODOS!

Histórias com rimas e lobos

A bióloga de mão dada com a mascote fala para os alunos.As mediadoras culturais do Serviço Cultural e Educativo do Bairro dos Museus, Diana Silva e Joana Santos, visitaram a nossa escola de hospital para nos dar a conhecer, numa primeira sessão, a Casa das Histórias Paula Rego, assim como certas características que definem o trabalho da artista Paula Rego.

Abordámos rimas de berço inglesas que inspiraram a sua obra Nursery Rhymes e criámos, de uma forma natural, versos em inglês que rimavam entre si e que caminharam de cá para lá e de lá para cá entre os dois grupos de participantes. Por fim, cada grupo musicou espontaneamente os versos do grupo contrário.

Na segunda sessão, abordámos a narrativa presente no trabalho artístico da autora portuguesa, tendo de novo como centro da nossa atenção a obra dedicada às rimas de berço. Foi feita a apresentação da exposição Pra lá e pra cá presente, neste momento, na Casa das Histórias Paula Rego, e do espetáculo de bailado homónimo que decorreu há duas décadas na Fundação Calouste Gulbenkian. Procurámos identificar as personagens e o espaço das histórias que ouvimos e lemos nas gravuras de Paula Rego, em ilustrações antigas e nos excertos do bailado que visionámos. Realizou-se ainda uma breve abordagem à componente transdisciplinar do espetáculo do processo à realização. Por fim, construímos três cadavre exquis: dois sobre a ovelha e um outro subordinado ao tema Carro lançado por um dos alunos presentes.

<na sala da escola os alunos, à volta de uma mesa e um aluno em cama, observam uma ilustração antiga com uma ovelha e a mediadora cultural fala para os participantes.

Tiras de papel branco com rimas em inglês sobre uma cartolina preta.

As mediadoras culturais mostram ilustrações antigas das rimas de berço inglesas.

Um aluno observa atentamente uma ilustração antiga de uma rima d eberço.

Dois alunos desenham a sua parte do cadavre exquis.

O cadavre exquis completo sobre o tema "carro": rodas, caminhos que se entrecruzam, uma rotunda e uma casa entre outros rabiscos.

Observação de uma gravura da artista Paula Rego sobre a rima de berço "Baa baa black sheep".

Uma aluna desenha umas pernas com botas.

os dois cadavre exquis abertos: duas ovelhas completamente diferentes.

Lobo ibérico

A bióloga Isabel Ambrósio e a mascote Signatus, do Centro de Recuperação do Lobo Ibérico (CRLI), visitaram a nossa escola de hospital para nos falar desta espécie em vias de extinção.

O canis lupus signatus é uma espécie que representa o Património geográfico de Portugal e deu origem a histórias e lendas onde nem sempre é visto com bons olhos. Mas, após ouvirmos a bióloga Isabel falar acerca da morfologia e do comportamento deste animal, mudámos a nossa opinião.

 Os alunos observam uma imagem do lobo projetada no quadro interativo.

Uma mascote de tamanho humano cumprimenta os alunos presentes sob o olhar atento da bióloga Isabel.

A bióloga de mão dada com a mascote fala para os alunos.

Explorando o património!

À descoberta da nossa herança grega

Os gregos deixaram-nos muita história e muitas histórias… Os nossos alunos puderam descobrir  os caprichos e  as extraordinárias capacidades dos deuses e heróis gregos. Ao mesmo tempo, também aprenderam as fragilidades de todos, sem deixar passar o famoso calcanhar de Aquiles.

As peripécias da Guerra de Tróia encantaram os mais novos.

Alunos à volta da mesa com imagens dos deuses e heróis gregosActividade de colagem com deuses e heróis gregos Folha com imagens dos deuses e heróis gregos

Descobrindo os mistérios da calçada portuguesa

Os nossos alunos com os alunos do Hospital de Santa Maria, no âmbito do Projeto Teleaula, exploraram várias figuras planas: triângulos, quadrados, hexágonos, pentágonos,  retângulos… e descobriram os segredos da pavimentação, inclusive, a pavimentação da calçada portuguesa.

Uma teleaula muito divertida e interessante!!!

Alunos calceteiros realizam actividade com formas geométricas Foto com formas geométricas no computador Alunos calceteiros realizam actividade com formas geométricas Actividade com formas geométricas

Uma visita especial ao Museu do Azulejo

Existem muitas formas de se visitar um museu. Foi com muita alegria que os nossos alunos receberam a equipa do Serviço Educativo do Museu do Azulejo.

Nesta primeira visita, tivemos a oportunidade de explorar o barro com diferentes técnicas e cada criança pode construir um presépio para levar consigo.

Esta atividade aguçou-nos a curiosidade para as próximas visitas!!

Presépio de barro Presépio de barro Presépio de barro Presépio de barro Presépio de barro

E chegou a época natalícia!!!!

Presépio de feltro Boneco de gengibre Postal com árvore de Natal

Árvore de Natal 

Pormenor de árvore de Natal - estrela

Partilhar, preservar e descobrir

Para lembrar a lenda de S. Martinho, as educadoras e as professoras do Departamento de Pediatria do HSM fizeram a sua dramatização por todos os serviços e deixaram um pequeno desafio para não esquecerem esta lenda.


Com o Pavilhão do Conhecimento, tivemos uma aula sobre centro de massa. A Sandra proporcionou-nos várias experiências onde explorámos os centros de massa de vários objetos. No final levámos connosco tucanos equilibristas 🙂

A Sandra e a Rita, também do Pavilhão do Conhecimento, trouxeram-nos minhocas. Pudemos pegar nelas, observá-las em pormenor e aprendemos imensas curiosidades… Imaginem que podem ter até 15 corações e que, apesar de terem cabeça, não têm olhos mas têm células fotossensíveis por todo o corpo! Também aprendemos a distinguir minhocas de lagartas!

A escola do HSM fez a sua primeira TeleAula do presente ano letivo com a escola do IPO. Explorámos vários tipos de pavimentações: com polígonos e com figuras da natureza, tal como o Escher fez. Foi um grande desafio!
Falámos também de pavimentos nossos conhecidos, da calçada portuguesa e ficámos a conhecer a arte dos nossos mestres calceteiros 🙂

Ainda dinamizámos na sala polivalente uma nova atividade com alunos e os monitores José e Ana do CAF S. Vicente.
Fizemos um jogo de apresentação com balões. Escrevemos os nossos nomes, desenhámos um colega, registámos o nosso ídolo e o nosso prato favorito e ainda partilhámos os nossos medos. No final rebentámos os balões. Pum, pum, pum… foi uma festa!

Oficina, visita e prémio, todos compõem o nosso património pedagógico

 Oficina de Origami

Fotografia do decorrer da atividade

O Halloween, tradição anglo-saxónica com origens no povo Celta, foi a temática da oficina dinamizada pelas Educadoras de Infância do HDE, Isabel, Gina e Cristina. Entre dobras e dobragens, fizemos aparecer morcegos e abóboras, guiados pelas indicações da experiente Educadora Isabel.

Foi uma manhã muito divertida!

Fotografia de apresentação dos trabalhos realizados

Matar Saudades

Fotografia dos cumprimentos dos colegas que passam no corredor

Desde julho que não nos víamos, e ainda não conhecíamos os novos colegas e professores da turma. Agora, no 3º CEB, visitámos a escola da aluna R. Na EBI Patrício Prazeres, assistimos às aulas de História e de Geografia, almoçámos juntos e convivemos um bom bocado.

Fotografia da turma na sala de aula

Fotografia de grupo à mesa do almoço

Depois da ansiedade pela chegada do dia, a alegria de estar na escola!

Fotografia do encontro com um grupo de colegas no corredor

Visita Inesperada

Fotografia da aluna, da professora e do Galo de Barcelos

A propósito da entrega do Prémio Nacional eTwinning na categoria Inclusão, e do respetivo Selo de Qualidade, ao projeto A birthday card for Rebeca, de que já demos conta aqui, recebemos a visita emocionada de uma das professoras participantes no projeto, a professora Cláudia.

Fomos muito mimados!

Fotografia do prémio

Para a cerimónia de entrega dos prémios foram convidadas a professora Ana Madalena, fundadora do projeto, e duas das parceiras, as professoras Cláudia e Marisa.

Fotografia do Selo Europeu de Qualidade eTwinning 2017

Azulejos, Fernando Pessoa e alimentos saudáveis

Visitámos o Museu Nacional do Azulejo, em Xabregas, e fomos presenteados com uma visita guiada pelos vários espaços do edifício que celebra esta maravilhosa arte tradicional portuguesa. No dia seguinte, relembrámos o que vimos e ouvimos e fizemos um trabalho de expressão artística sobre a exposição de Haru Ishii, uma artista japonesa que vive em Quioto, Das sombras de Quioto à luz de Lisboa.

Alunos em cadeiras de rodas e em pé com a gui do museu observam o painel de azulejos da cidade de Lisboa
A visita guiada no MNAz
Várias tiras verticais com peixes de cores e motivos diferentes alinhados em arte de azulejo.
Uma das obras de Haru Ishii
Mãos dos alunos a tirar as medidas sobre papel de cartolina.
O trabalho dos alunos
Dois alunos em cadeira de rodas e a guia do Museu a falar sobre as obras de Haru Ishii.
A visita guiada à exposição “Das sombras de Quioto à luz de Lisboa”
Cinco trabalhos em papel que imitam o trabaho do azulejo com várias cores e formas.
O trabalho final dos alunos

Celebrámos o mês da alimentação, com trabalhos alusivos ao tema: elaboração da roda dos alimentos, aulas sobre alimentação saudável e uma sessão de degustação de frutos saudáveis de Portugal e não só. O fruto eleito como mais saboroso foi o maracujá.

Em cima da secretária e sobre um pano de cozinha encontram-se uma romã, bolotas, castanhas ainda dentro dos ouriços, castanha venenosa, mirtilos e maracujás.
Uma mesa bem servida

Recebemos a visita das mediadoras culturais da Casa Fernando Pessoa que nos falaram sobre Almada Negreiros, grande amigo do poeta. A atividade chamava-se Descalçar botas d’elástico e fazer uma revista modernista. A verdade é que não fomos mesmo nada botas de elástico e conseguimos fazer pequenas revistas modernistas cheias de criatividade e imaginação.

Um grupo de alunos dispostos em mesa redonda a escutar a mediadora cultural e a observar uma revista de Almada Negreiros.
A aprender quem foi Almada Negreiros
Uma aluna corta uma tira de papel dobrada como um harmónio com a ajuda de uma das mediadoras culturais.
A fazer uma revista modernista
Cinco das nossas revistas modernistas: O prédio, Sou a lua, A Clarinha, BlaBla e uma sem título.
Algumas das nossas revistas modernistas

Ainda tivemos tempo para aprender os continentes e os oceanos.

Um mapa mundo e um globo terrestre dividido ao meio em cima de uma secretária.
Digam lá, por favor, quantos são os continentes?